Facebook

Erva Beladona

Erva Beladona

Planta de extrema toxicidade em todas as suas partes, a Beladona é uma planta vivaz com caule ramificado, cilíndrico, chegando a medir até 150 centímetros de altura. Uma lenda muito antiga dizia que o Diabo vigia o crescimento desta planta. O seu nome científico é originário da mitologia grega, referindo-se a Atropos, aquele que das três Parcas era o que tinha por função cortar o fio da vida e a palavra atropos significa inelutável. Na Roma antiga, as mulheres utilizavam o suco do fruto para dilatar a pupila do olho como estética, derivando o nome bela dona ou bela dama dado a esta espécie. A droga vegetal é constituída das folhas e das sumidades floridas, sendo descritas na Farmacopéia Brasileira 4ª Edição (1996): "As folhas são elípticas, oval-lanceoladas a largamente ovadas, inteiras, de ápice acuminado, base atenuada, simétrica e algo decurrente, e bordo inteiro. Medem 5-25 cm de comprimento e 3-12 cm de largura, com pecíolos de 0,5-4 cm. A coloração varia do verde ao castanho-esverdeado, sendo mais escura na face superior. As folhas secas são enrugadas, friáveis e delgadas. As folhas jovens são pubescentes, porém as mais idosas apresentam-se apenas ligeiramente pubescentes ao longo das nervuras e no pecíolo. A nervação é do tipo peninérvea, sendo que as nervuras laterais partem da nervura mediana num ângulo de cerca de 60º e se anastomosam próximo ao bordo. A superfície da folha é seca e áspera ao tato, devido 'a presença de células com conteúdo microcristalino de oxalato de cálcio no mesófilo. Estas células aparecem como minúsculos pontos brilhantes, quando a superfície é iluminada; as outras células contraem-se mais durante a dessecação. O exame à lupa revela os mesmos pontos escuros por transparência e brilhantes por reflexão. As sumidades floridas apresentam a haste oca e achatada, na qual se inserem folhas geminadas, de tamanho desigual, na axila das quais estão as flores solitárias. As flores possuem cálice persistente, gamossépalo, de 5 lobos triangulares; a corola é campanulada, purpúrea a castanho-amarelada, com cinco pequenos lobos voltados para o exterior. A corola mede até 2,5 cm de comprimento por 1,2 cm de largura. O androceu tem cinco estames epipétalos. O gineceu é de ovário súpero, bilocular, com numerosos rudimentos seminais. O fruto é subglobular, de cor verde até castanho ou negro-violáceo, com até 1,2 cm de diâmetro e cálice persistente.O fruto, quando maduro, contém numerosas sementes marrons, reniformes. A droga tem sabor amargo e desagradável e odor fracamente nauseante, lembrando o do fumo."

Veja para que serve Beladona

Beladona (Atropa belladona)AÇÃO E INDICAÇÃO:Internamente em diluições homeopáticas é indicada para cólicas intestinais e biliares, dores musculares, contusões e dores artríticas.Externamente usada como adstringente, anestésica, antiinflamatória e ativador da microcirculação.Indicada para furunculoses na forma de creme.FORMAS UTILIZADAS:- Homeopatia- Creme Beladona (Atropa belladona) AÇÃO E INDICAÇÃO: Internamente em diluições homeopáticas é indicada para cólicas intestinais e biliares, dores musculares, contusões e dores artríticas.Externamente usada como adstringente, anestésica, antiinflamatória e ativador da microcirculação. Indicada para furunculoses na forma de creme.

A Erva de Bruxo Assassina

A Erva de Bruxo Assassina Beladona A beladona (Atropa belladonna) é uma planta pertencente ao gênero Atropa nativa da Europa, encontrada em solos úmidos, principalmente à beira de rios, florestas fechadas e lagos. Linnaeus, em 1700, denominou esta planta de Atropa belladonna, pois sabia que as mulheres na Itália utilizavam extratos de Atropa nos olhos para dilatar as pupilas de modo a ficarem mais belas, denominou-a de belladonna, o próprio nome beladona (belladonna - em italiano) significa "mulher bonita". A esse nome, juntou o de Atropa, baseando-se em Atropos que era, segundo a mitologia grega, a divindade responsável pela morte das pessoas, sendo uma das três parcas que controlavam o destino (uma seria responsável pelo nascimento, a outra pelo prolongamento da vida, e Atropos, seria o responsável pelo corte do fio da vida). A Atropa belladonna é largamente usada por feiticeiros e bruxas que usam desta planta como constituinte dos seus ungüentos voadores. Seriam posteriormente esfregados na pele e genitais causando alucinações e às vezes sensações de levitação ou vôo. A excitação sexual também era freqüente podendo mesmo ocorrer o orgasmo. Algumas feiticeiras, para adivinhar o futuro, tomavam, regularmente, pequenas quantidades de beladona via oral, sendo esta prática reconhecida como perigosa. O vinho dos bacanais, ou festas dionisíacas, estava freqüentemente adulterado com beladona, produzindo reações de histeria e alucinações nos participantes, tornando as mulheres mais propícias a estes atos.

ABUNDÂNCIA AGERATINA ADENOPHORA

Essa planta nativa da América do Norte é altamente venenosa. Suas flores são brancas e, após a floração, pequenas sementes sopram com o vento. Elas têm uma alta porcentagem da toxina tremetol, que não é conhecida por matar seres humanos diretamente, mas indiretamente. Quando a planta é comida pelo gado, a toxina é absorvida em seu leite e carne. Quando os seres humanos, então, comem essa carne ou bebem esse leite, a toxina entra no corpo e se torna a chamada "doença do leite", altamente fatal. Milhares de colonos europeus morreram da doença na América no início do século 19. Essa planta com flores nativa do leste e norte da América do Norte tem veneno no seu fruto marcante, de um 1 centímetro de diâmetro, que lembra muito um olho. Apesar de toda a planta ser declarada tóxica para consumo humano, a parte mais venenosa é a toxina concentrada no fruto que, infelizmente, foi responsável por tirar uma série de vidas de crianças, já que também têm um gosto doce. As bagas contêm uma toxina cancerígena, que tem um efeito sedativo quase imediato em músculos cardíacos humanos e pode facilmente causar uma morte rápida. 3 – TROMPETA DE ANJO (GÊNERO DATURA) As plantas desse gênero são às vezes chamadas de lírio, pela semelhança. Também são chamadas de trompeta de anjo, nativas das regiões tropicais da América do Sul, por causa das flores pendentes em forma de trompete, cobertas de pelos finos, que pendem da árvore. As flores vêm em uma variedade de tamanhos (14 a 50 centímetros) e em uma variedade de cores, incluindo branco, amarelo, laranja e rosa. Todas as partes da planta contêm toxinas. A planta é, por vezes, transformada em chá e ingerida como uma droga alucinógena. Como os níveis de toxicidade variam de planta para planta, e de parte para parte, é quase impossível saber a quantidade de toxinas que você ingeriu. Como resultado disso, muitos usuários têm overdose e morrem. 4 – NUZ-VÔMICA (STRYCHNOS NUX-VOMICA) A árvore Estricnina é nativa da Índia e sudeste asiático. As pequenas sementes dentro do fruto verde para laranja são altamente tóxicas, com alcalóides venenosos. 30 miligramas dessas toxinas são o suficiente para serem fatais a um adulto, e levará a uma morte dolorosa de convulsões violentas devido à estimulação simultânea de gânglios sensoriais da coluna vertebral.

Conheça historias de quem emagreceu