Facebook

Chá de Cipó São João

Chá de Cipó São João

Cipó São João – Conheça os poderes do seu chá Nativa da América do Sul, a planta Pyrostegia venusta acabou chegando ao Brasil espontaneamente e é cultivada desde os campos Nordestinos aos de São Paulo. Essa planta é popularmente chamada de Cipó São João, Cipó Vermelho ou Flor de São João, tais nomes são devidos ao seu uso nas festas juninas. É uma trepadeira bonita, grande e forte que pode chegar a ter de dois a quatro metros de comprimento. Há tempos se vem estudando as propriedades medicinais do Cipó São João e foram descobertas duas: é antidiarreico e tônico. Indicando que é um bom remédio natural para tratar problemas tópicos e para as crises de diarreia. Decoração junina com o Cipó São João Essa planta trepadeira é muito utilizada para fazer a ornamentação das festas de São João. Ela é escolha para decoração, pois suas folhas têm cores bastante chamativas que lembram labaredas da fogueira da festa junina. Quais são as principais indicações? O chá dessa planta é indicado para casos de diarreia; Para uso tópico, caso indicado pelo médico, as flores do Cipó São João podem ajudar no tratamento de vitiligo, leucoderma e demais manchas brancas no corpo; É também indicado para casos fraquezas no corpo.

Receita do chá de Cipó São João

Coloque um litro de água para ferver e ponha três colheres de sopa da erva do cipó São João para que ferva. Assim que levantar fervura, deixe cozinhando por alguns segundos e desligue o fogo. Tampe a panela e deixe a bebida descansando por dez minutos. Coe o conteúdo e beba de duas a três xícaras ao dia. Muito cuidado! Em geral, é sempre bom ter muita atenção ao decidir fazer o uso de medicamentos naturais. No entanto, o cuidado deve ser redobrado quando a planta escolhida for o Cipó São João, pois há casos de envenenamento de animais (bovinos) após a sua ingestão. A toxidade da planta é, provavelmente, dada em função do glicosídeo pirostegina contido em sua composição química. Para não correr altos riscos, procure um médico especializado em tratamentos naturais e pergunte sobre a possibilidade de fazer uso dessa planta para tratar o problema que lhe aflige. Ele deverá analisar o problema e indicar a dosagem certa para você.

Cipó de São João: cura natural do vitiligo

Cipó de São João: cura natural do vitiligo Cipó de São João tem demonstrado enorme eficácia na cura do vitiligo. A preparação caseira do remédio é fácil e acessível a todos. O Cipó de São João (Pyrostegia venusta) é uma planta da família das Bignoniaceae, nativa e espontânea no Brasil. Também é conhecida como flor-de-São-João, cipó-de-fogo, cipó-vermelho, cipó-bela-flor, cipó-de-lagartixa e cipó-de-lagarto. As suas propriedades medicinais são imensas, tendo-se verificado resultados francamente positivos no tratamento de disenterias, diarreias, fraqueza, leucodemas e vitiligo. Encontramos diversas receitas de remédios caseiros, utilizando o Cipó de São João, para tratamento e cura do vitiligo: Prepare por decocção um chá de ramos, folhas e flores de cipó-de-são-joão com folhas e raízes de mama-cadela e faça banhos diários. Ou então coloque as duas plantas em infusão alcoólica por algumas horas e aplique o líquido nas manchas em dias alternados. Não se exponha ao sol nesses dias. Mama-cadela, também conhecida como algodão-do-campo, é uma planta comum no oeste do Brasil. O seu princípio ativo é o bergapteno, presente em distintas partes da planta. É utilizado no tratamento de doenças que causam despigmentação, tal como o vitiligo. A tintura composta da planta é aplicada estritamente sobre as áreas despigmentadas pelo vitiligo, dia sim, dia não. Chá de Cipó de São João recomendado para tratamento do vitiligo: Em um litro de água fervente, coloque 3 colheres de sopa da erva, deixe levantar fervura. Desligue o fogo e abafe por dez minutos.

Hipericão / Cipó de São João - para vitiligo

Hipericão / Cipó de São João - para vitiligo Uma amiga brasileira falou-me da Erva de São João ou Hipericão para o tratamento do vitiligo. Pesquisando mais, vi que também é calmante e antidepressivo. Tudo o que trata do stress e das depressões será bom para o vitiligo, digo eu, mas também li que o uso típico da tintura composta da planta, aplicada sobre as áreas despigmentadas pelo vitiligo dia sim, dia não… resulta!... A tintura ainda não experimentei, mas o chá costumo beber quentinho ou frio consoante a estação…Agora que é Verão, faço pela manhã, coloco no frigorífico e bebo uma chávena 3x ao dia. Costumo alternar semanalmente o chá de Hipericão como o chá 3 anos que é alcalinizante. Também li numa pesquisa que o hipericão torna a pele sensível às radiações solares ( fotossensibilização), pelo que é melhor ter cuidado. Eu não me exponho ao sol, portanto não corro esse perigo. Estudos comprovaram a presença de esteróides, taninos e alantoína nas flores, raízes e folhas do hipericão/ cipó de São João e após analisar a acção desses componentes no seu todo, chegou-se à conclusão da acção benéfica da planta em casos de vitiligo. Fitoterapia é uma forma de tratamento baseado em plantas medicinais. O uso de plantas para a cura de doenças e sintomas remonta aos princípios do homem na Terra. Atualmente, depois de muitos estudos sobre os efeitos terapêuticos, a eficácia das plantas vem sendo comprovada. Além disso, os fitoterápicos mostram-se altamente vantajosos em termos de custo e benefícios. São consideradas plantas medicinais os vegetais que contêm um ou mais princípios ativos. Porém, as substâncias ativas não se encontram na planta em estado puro, mas sob a forma de complexos, maneira que seus diferentes componentes se completam e se reforçam na ação terapêutica. Para o tratamento tanto de sintomas internos como externos, as plantas podem ser usadas na forma de chás, sucos, pós e tinturas. E para qualquer forma de preparo, devem ser usados utensílios de ágata, cerâmica ou vidro, e nunca alumínio. No entanto, para que plantas nativas possam ser usadas na fitoterapia, é necessário um cultivo de forma racional, permitindo a reprodução e a perpetuação das espécies. Para isso, é preciso observar suas características ecológicas e implementar um manejo sustentável das mesmas. No caso de coleta de folhas e cascas, a exploração deve ser feita por meio de podas controladas, de forma a preservar a maior parte da planta. Para vitiligo pode ser usado o chá de cipó-de-São-João, sob a forma de banhos diários ou infusão alcoólica. Para vitiligo pode ser usado o chá de cipó-de-São-João, sob a forma de banhos diários ou infusão alcoólica. Muitas espécies nativas podem ser cultivadas, não havendo necessidade de serem coletadas na natureza. São exemplo o jaborandi, a carqueja, a salsaparrilha e a espinheira santa. Quando se trata de plantas medicinais, a qualidade é essencial, pois as quantidades de princípios ativos presentes são relativamente pequenas e o material a ser utilizado como medicamento deve ser isento de resíduos e ter boas condições sanitárias. O cultivo das plantas medicinais permite a obtenção de produtos com melhor qualidade terapêutica. Os fatores que levam a esse beneficiamento são: o cultivo de espécies melhoradas, variedades ou híbridos que possuam os caracteres desejados e o melhor desenvolvimento das plantas, por causa do melhor manejo das condições do solo, do controle de pragas e doenças. Também, melhores condições de colheita e do processo de pós-colheita, com secagem em temperaturas adequadas e boas condições de armazenamento. No curso Uso de Plantas Medicinais em Dermatologia, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, a professora Dr.ª Maria Bergo, ensina os conceitos do princípio ativo, formas de plantar e usar as plantas medicinais, como também os tratos culturais. Além disso, o curso traz módulos com informações sobre as plantas que são indicadas para o uso em dermatologia e as fórmulas da professora Bergo, que apresentam o passo a passo para se fazer loções, pomadas, cremes, chás, sabonetes, entre outros.

Conheça historias de quem emagreceu