Facebook

Erva lúpulo

Erva lúpulo

Planta trepadeira, que mede de 5 a 7 metros de altura, perene e dióica, o Lúpulo apresenta um caule volúvel, sinistroso (enrolando da direita para a esquerda), anguloso e áspero. Suas folhas são verde-claras, opostas, pecioladas, estipuladas, recortadas em 3 a 5 lóbulos, ásperas, palmadas e de bordos serrados. Suas flores são verde-amareladas, dióicas, tendo as masculinas 5 pétalas, 5 estames, eretos em panícula na axila das folhas, e as femininas numerosas brácteas foliáceas, imbricadas, envolvendo cada uma dela 2 pistilos e formando cones pendentes cobertos por um pó amarelo-dourado e resinoso, a lupulina. Possui um cheiro intenso e aromático, além de um sabor amargo.
É originário das zonas setentrionais da Europa, Ásia e América, crescendo em bosques úmidos. Seu nome botânico Humulus provém da palavra anglo-saxônica humele, fazendo-se referência ao habitat úmido onde normalmente cresce e lupus, significa lobo, já que este animal se utiliza da planta para estrangular as ovelhas. A introdução do seu uso na Europa data do século XIII, passando a ser utilizado no fabrico da cerveja.

Nome Científico: Humulus lupulus L.

Nome Popular: Lúpulo, Vinha-do-norte, Engatadeira, Lúpulo-trepador, Pé-de-galo, em português; Lúpulo, Lupulino, Hombrecillo e Betigueira, em espanhol; Hops, em inglês; Luppolo, na Itália; Houblon, na França/ Hopfen, na Alemanha.

O que é o lúpulo?

O lúpulo utilizado na produção de cerveja é a flor de uma planta chamada Humulus Lupulus. A planta é dioica, ou seja, existe tanto como macho ou fêmea, mas apenas a fêmea é utilizada na produção de cerveja,
um cone de lúpulo
pois é ela quem produz os cones de lúpulo que utilizamos no processo de fabricação.

O lúpulo é utilizado na cerveja principalmente como fonte de amargor, para contrabalancear com a doçura do malte (pense na relação entre malte e lúpulo como uma relação entre açúcar e café, respectivamente), mas também possui outros usos. O lúpulo estabiliza os sabores e aromas da bebida, além de contribuir com aromas que vão do cítrico ao herbal. Além disso, o lúpulo ainda possui um efeito antibiótico na cerveja não-fermentada que favorece a ação do fermento cervejeiro ao invés de microorganismos indesejáveis. Quer uma florzinha mais útil do que essa?

A lupulina é uma glândula amarelada que se encontra entre as pétalas da flor, e fornece as resinas e os óleos essenciais da planta, responsáveis pelo amargor e aromas que o lúpulo dá à cerveja. Nas embalagens de lúpulo, normalmente consta o percentual de ácidos-alfa daquela variedade da planta, exibindo o potencial de amargor que tal variedade dará para a sua cerveja.
A planta é cultivada principalmente na Alemanha, Estados Unidos, República Tcheca e Inglaterra e é, ainda hoje, o ingrediente mais caro utilizado na cerveja.

 

lúpulo, planta medicinal

O lúpulo, planta medicinal usada no fabrico da cerveja, é uma planta trepadeira que pode ser macho ou fêmea e pode atingir sete a 8 metros desde que cresça à luz e ao sol.

As plantas macho são utilizadas para reprodução e não têm aplicação na cerveja, enquanto as fêmeas produzem lupina (matéria utilizada para a fabricação de cerveja que lhe dá o seu sabor caracteristico).
Propriedades Medicinais, Beneficios e Indicações Terapêuticas
O lúpulo tem o papel de melhorar o aroma da cerveja e dar-lhe o mais do que conhecido sabor amargo que lhe é caraterístico. Funciona também como um excelente conservante, graças às suas propriedades antibióticas, evitando assim a contaminação da cerveja.
Antigamente, o lúpulo era utilizado também para o fabrico de pães e servia como vegetal para saladas. Já foi utilizado para problemas de anorexia, ansiedade, diarreia, cistos, doença do Crohn, dores de cabeça e de ouvidos, feridas, gases, histeria, indigestão, lepra, tumores, tuberculose, tensão, tosses e simples dores comuns.
Este tipo de planta encontra-se sobretudo em sebes, zonas frescas ou frias por toda a Europa, Estados Unidos, China e até mesmo nas Ilhas Canárias.
Apresenta excelentes propriedades medicinais e é uma milagrosa solução para quem pretende acalmar os nervos, dormir melhor, equilibrar o estado de ânimo e a saúde.
As propriedades medicinais que se destacam no lúpulo são : anafrodisíaco, antibacteriano, antiespasmódico, diurético, emenagogo, hipnótico, relaxante muscular e sedativo.

Chá de lúpulo

Se decidir optar pelo chá de lúpulo, utilize 20 gramas dos cones do lúpulo por cada litro de água e tome três a quatro chávenas por dia, a fim de combater o nervosismo, insónias, e enxaquecas. Pode aplicar também o chá quente sobre a zona afetada se sofrer de nevralgia.
São muitos os estudos que se fazem sobre o lúpulo e procura-se constantemente que potenciais benefícios terapêuticos podem ajudar no combate a várias patologias. Foi provado também que esta maravilhosa planta contém ácidos amargos que funcionam como antimicrobianos e o pó que se desprende e sacode das pinhas do lúpulo conferem uma excelente ação sedativa e sonífera.
Pode também utilizar o lúpulo dentro dos travesseiros porque ajuda a adormecer mais fácilmente bem como usa-lo em cataplasmas para tratar cistos (quistos), feridas, dores de cabeça, de ouvidos e de dentes.
Se acrescentar pomadas, é extremamente útil e pode ser usado para esfregar a região do tórax a fim de aliviar a tosse. É também utilizado na industria cosmética na elaboração de cremes para a pele e para ervas de relaxamento para o banho.
Os flavonoides (ou bioflavonoides) presentes nesta verdadeira erva medicinal podem ajudar em problemas de ossos, reduzir o risco de diabetes, melhorar níveis de colesterol elevado e até mesmo ajudar a combater a obesidade (Ler: Balão Intragástrico), que é sem dúvida cada vez mais um problema de todos os comuns mortais.
Contra Indicações e Efeitos Secundários
No entando também existem alguns malefícios. O lúpulo deve ser evitado durante a gravidez, em pessoas que sofrem de depressão e a planta pode causar dermatite se tiver contato direto com determinadas pessoas a este alérgicas.

Conheça historias de quem emagreceu