Facebook

Erva manjerona

Erva manjerona

Nome comum: Manjerona

Família: Lamiaceae

Origem: Mediterrâneo e África

Habitat: Dispersa pela Europa, África, Ásia

História: Conta uma lenda que o príncipe Amáraco, filho do rei de Chipre, dedicava-se à arte de fabricar perfumes. Um dia, ele conseguiu criar uma fragrância única, surpreendentemente agradável, e ficou maravilhado com sua criação mas, ao carregar o jarro que continha este perfume, deixou-o cair ao chão e quebrar-se, perdendo o raro perfume. Profundamente entristecido, o jovem começou a definhar, até morrer. Reconhecendo a dedicação do jovem príncipe, os deuses transformaram seu corpo sem vida numa planta muito aromática: a manjerona. A mitologia grega faz referência à manjerona como a erva preferida de Afrodite, a deusa do amor, que a teria usado para curar as feridas de Enéias. Aliás, para o povo grego, a planta era símbolo da felicidade, tanto que era plantada na frente das casas como sinal de boas-vindas. Gregos e romanos a usavam para tecer coroas para os recém-casados e até hoje a erva é associada à felicidade conjugal. Acredita-se que a manjerona foi introduzida no Ocidente durante a Idade Média, possivelmente pelas Cruzadas.

Descrição: Planta herbácea de caule quadrangular, lenhoso na base e flexível na parte superior e muito ramificado, atingindo cerca de 50 cm de altura. As folhas de Manjerona são pequenas (medem até 2 cm de comprimento), ovais, opostas, pecioladas, de coloração verde-acinzentada na face superior e aveludadas na face inferior. As flores, de coloração branca, violácea ou rosada, também são pequenas. As flores abertas de Manjerona são muito procuradas pelas abelhas e borboletas. Os botões ainda fechados guardam as flores quase escondidas por brácteas nodosas. O fruto produz sementes muito finas.

Para que serve a manjerona

xA manjerona, de nome científico Origanum majorana L, é uma planta medicinal que possui folhas ovais e pequenas, que pode atingir até 50 cm de altura. Ela é nativa da Europa e pode ser utilizada contra diversos males da saúde.

Para que serve a manjerona

Diarreia, flatulência, má digestão, falta de apetite, auxiliar no tratamento da herpes genital, asma, bronquite, gripes, resfriados, tosse com catarro, dor reumática, cólica menstrual ou cólica intestinal, reumatismo, contusão, cansaço, apatia, pouca libido.

Propriedades da manjerona

Contém óleos essenciais: beta-pineno, p-cimeno, terpineno, linalol, terpineol, 4-ol timol; taninos e mucilagem e por isso têm ação anti-espasmódica, expectorante, estimulante, digestiva, revigorante, afrodisíaca, aromática, antioxidante, anti-séptica, analgésica.

Modo de uso da manjerona

As folhas maceradas podem ser colocadas debaixo do nariz para descongestionar as vias aéreas superiores.

Chá: Usar 20 a 40g da manjerona por litro de água. Tomar até 3 xícaras por dia.
In natura: Como condimento ou em sucos batidos no liquidificador ou no processador de alimentos.
Tintura alcoólica: 100 g de manjerona para 1 litro de álcool de cereais, para aplicação tópica.
Efeitos adversos da manjerona

Não encontrados na literatura pesquisada.

Contraindicações da manjerona

Gravidez.

manjerona Origanum majorana, Lamiaceae

A manjerona (Origanum majorana, Lamiaceae) é uma erva ou planta perene (mas sensível ao frio), com sabores doces do pinho e do citrino.

A manjerona é cultivada para suas folhas aromáticas, verde ou seca, para o uso culinário; são cortadas enquanto as plantas começam a florescer e secados lentamente na sombra. É usada freqüentemente em combinações das ervas tais como Herbes de Provence e Za\\\'atar.

Espécie relacionada

O orégano ou orégão (Origanum vulgare, alistado às vezes com manjerona como Origanum majorana) é chamado também Manjerona Selvagem. É uma planta perene comum em Europa do sul em bosques secos e em cercas-vivas, com muitas hastes grossas 30-80 cm elevado, carregando as folhas tanto ovate e flores roxas. Tem um sabor mais forte e uma qualidade mais penetrante.

Também é usada nas procissões da Semana Santa de Pirenópolis, pois seu cheiro é muito forte. É uma tradição de séculos.

Na medicina ou na culinária são usadas as folhas secas ou verdes, seja em receitas ou sob a forma de chá.
Ao ser usada como tempero, a manjerona é um poderoso estimulante do aparelho digestivo, combate as cólicas, gastrite e os dolorosos efeitos que os gases produzem.
Se usada no banho, a manjerona combate o reumatismo, a fraqueza e o cansaço muscular e nervoso.
Como cataplasma, suas folhas são excelentes auxiliares no tratamento para desinflamar tumores, feridas e também nos torcicolos.
As compressas locais, feitas a partir das folhas de manjerona, são usadas para acalmar as dores reumáticas.
E, nas gripes fortes, a inalação de suas propriedades ajuda a eliminar o catarro mais facilmente, prevenindo assim uma possível sinusite.

Conheça historias de quem emagreceu