Facebook

Erva quina cruzeiro

Erva quina cruzeiro

QUINA CRUZEIRO - Strychnos pseudoquina
Strychnos pseudoquina é uma árvore que geralmente alcança de 3 a 5 metros de altura encontrada no cerrado brasileiro, conhecida popularmente por Quina do Cerrado.

INDICAÇÃO: Chá de Quina Cruzeiro => Distúrbios gastrintestinais, com destaque para a úlcera. É usada também no tratamento da malária.

COMO FAZER: Duas colheres de sopa para um litro de água.
Deixe cozinhar por cerca de 10 minutos a partir do momento em que se inicia a ebulição, após esse tempo, retire do fogo e deixe repousando, tampada, por 10 minutos. Coe e está pronto para o uso.

COMO BEBER: Tomar 2 a 3 xícaras ao dia.

Plantas de A a Z - Características e aplicações

Planta medicinal é uma planta que contém substâncias bio-ativas com propriedades terapêuticas, profiláticas ou paliativas. Muitas destas plantas são venenosas ou pelo menos levemente tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado.
Existe um grande número de espécies em todo o mundo, usadas desde tempos pré-históricos na medicina popular dos diversos povos. As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia) e suas propriedades são estudadas nos laboratórios das empresas farmacêuticas, a fim de isolar as substâncias que lhes conferem propriedades medicinais (princípio ativo) e assim, produzir novos fármacos.

Abóbora Danta: (Trianosperma trilobata)
Parte utilizada: Parte aérea.
Característica: Planta muito usada pelos antigos por ser eficiente contra sífilis.

Abageru: (Chrysobalanus isaco L.)
Parte utilizada: Parte aérea.
Característica: Planta de origem brasileira

Absinto Romano: (Artemísia absinthium)
Parte utilizada: Parte aérea florida
Característica: Planta importada de origem Búlgara, estimulante da secreção gástrica, enemagoga, vermífuga, Com grande eficiência para inflamações do útero, rins e bexiga, cólicas renais e uterinas

Abútua: (Cissampelos pareira L.)
Parte utilizada:Raiz
Característica: Planta de origem brasileira usada como diurética, tônica, Para reumatismo, cólicas e atrasos de menstruações.

Agar - Agar: (Gracilaria confervoides)
Parte utilizada:toda alga
Característica: Planta originaria do sudeste do Brasil muito utilizada em fórmulas de emagrecimento por ter o poder de absorver água e inchar no estômago e dar uma sensação de saciedade além de ser levemente laxativo ajudando na prisão de ventre e constipação.

Agoniada: (Pluméria lancifolia Müller)
Parte utilizada: Casca
Característica: Planta Brasileira usada em inflamações do útero, ovários e menstruações difíceis.

Alcachofra: (Cynara scolymus L.)
Parte utilizada: Parte aérea.
Característica: Planta Brasileira vinda do sul e norte do país ajuda na eliminação do colesterol, uréia, é hipotensor.

Alcaçuz: (Glicyrrhiza glabra)
Parte utilizada: Raiz
Característica: Planta Brasileira vinda do nordeste do Brasil (Bahia), usada como expectorante, para bronquites, laringites, tosse e rouquidão.

Alecrim do Norte: (Lantana microphylla martius)
Parte utilizada: Folha
Característica: Planta vinda da Bahia usada como tônica, afecções das vias respiratória e banhos relaxantes.

Alecrim Rosmarinus: (Rosmarinus officinalis)
Parte utilizada: Folha
Característica: Planta importada de origem Marroquina usada como antidepressivo, tônico cardíaco, poderoso antibacteriano e imunoestimulante.

PROPRIEDADES MEDICINAIS DA QUINA

Cinchona calisaya, Cinchona officinallis

Descrição : Planta da família das Rubiáceas, tambêm conhecida como chichona vermelha, casca eruana e casca dos jesuitas. São conhecidas como quina a casca que cobre o tronco e as ramificações dessa árvore. Existem várias espécies da família da Rubiáceas, tais espécies são ricas em quinino, indicado no tratamento da malária. Arbustos e árvores sempre-verdes que chegam a alturas de 15 a 30 metros. (o regiões da A cápsula oblonga da semente mede aproximadamente 3 cm de comprimento e, quando maduras, racham na base.) Cada cápsula contém 40 a 50 pequenas sementes que são tão claras e tão leves que é necessário aproximadamente 75000 sementes para obter 30 g. Mais além, estas árvores são encontradas em cultivo na África e no Sudeste asiático; O principal composto químico, a quinidina é encontrada em todas as espécies citadas acima, da Familia Rubiaceae.

Habitat: Áreas montanhosas e tropicais das Américas central e do Sul, incluindo Bolívia, Costa Rica, e Peru.

História: Acasca do tronco da Chinchona, tem sido usada por séculos para o tratamento da malária, febre, indigestão, doenças da boca e da garganta, e o câncer; Seu nome é homenagem à condessa de Chinchon, esposa de um vice-rei do Peru, que foi curada em 1638 de uma febre com uso da casca; O uso formal da casca no tratamento da malária foi estabelecido em meados do século XIX quando os Ingleses iniciaram o cultivo mundial da planta para assegurar sua disponibilidade, pois a planta corria perigo de extinção em algumas regiões devido à colheita predatória de populações selvagens.

Parte utilizada: Folhas, casca da raiz, casca dos ramos, casca do tronco.

Propriedades : Febrífugas, antimaláricas, tonificante, adstringente e cicatrizante.

Indicações : Suas propriedades terapêuticas estimulam as funções intestinais, gástricas e hepáticas.

Uso na gestação e na lactação: Contra-indicado durante a gravidez devido a efeitos adversos sobre o feto e por ser um agente abortivo. Uma revisão sobre a segurança do uso de drogas antimaláricas durante a gravidez mostrou que as doses (antimaláricas) padrão de quinina não apresentam nenhuma evidência de aumento no risco de aborto ou de nascimento prematuro; A quinina é excretada no leite materno, mas quantidades insignificantes são ingeridas pelo bebé. Doses elevadas de quinina podem causar a estimulação uterina nas mulheres grávidas e a surdez e hipoplasia do nervo ótico em crianças.

Principios Ativos : Alcalóides, taninos, essências e princípios amargos e Quinino

Contra-indicações/cuidados: gestantes, nutrizes, crianças. Doses elevadas, pode provocar dores de cabeça, tontura, surdez e irritação gástrica.

Posologia: Como antimalárico, em doses de 325 mg a 1 g como um sal de sulfato; As doses clássicas da casca bruta da árvore eram de aproximadamente 1g (1 colher de café para cada xícara de água) em decocto, várias vezes ao dia, para todas as indicações.

COMO PREPARAR E UTILIZAR AS ERVAS MEDICINAIS

1. EM FORMA DE CHÁ
O chá é um extrato aquoso, e quente, de alguns princípios ativos contidos na planta. Para maior facilidade de extração, a parte usada da planta deve estar reduzida a pequenos fragmentos. Usar 2 colheres das de sopa para 1 litro de água.
a) FOLHAS, SEMENTES e FRUTOS: preparar em infusão. A planta é colocada na água fervente após ter apagado o fogo e deixada em recipiente tampado, antes de coar.
b) RAÍZES, CASCAS e LENHO: preparar em decocção. A planta é colocada em água fria para, em seguida, fazer-se o cozimento durante 15 a 20 minutos. Deixar esfriar um pouco, mexer e coar em coador de pano ou de papel.
1.1. DOSES PARA ADULTOS
a) COMO DIGESTIVO: tomar 1 xícara antes ou após as refeições.
b) COMO FEBRÍFUGO E ANTIDIARRÉICO: tomar 1 xícara de 2 em 2 horas, até conseguir o efeito desejado, até 6 vezes ao dia
c) COMO DIURÉTICO: tomar à vontade, 1 litro ou mais por dia
1.2. DOSES PARA CRIANÇAS
Apenas alguns chás têm indicação infantil como: Erva Cidreira, Erva Doce, Flores de Sabugueiro, Erva Macaé e Camomila. Tomar 1 colher das de café, das de chá, das de sopa ou uma xícara de café, de acordo com a idade, em intervalos de 3 horas.
2. EM FORMA DE TINTURA
A tintura é um extrato basicamente hidroalcoólico, que já vem pronto, e que contém todos os princípios ativos da planta. Devem ser preferidas aos chás por terem composição constante e ser mais fácil estabelecer as doses. Podem, em alguns casos, deixar depósitos, o que não significa que estejam alteradas.
2.1. DOSES PARA ADULTOS
Tomar 1 colher das de chá em 1/2 copo d'água antes das refeições e ao deitar. As tinturas contra diarréias, febres, asma, tosse e outras podem ser tomadas de 2 em 2 horas, no dobro da dose normal, até 6 vezes por dia.
a) GARGAREJOS: usar 1 colher das de chá em meio copo de água
b) LAVAGENS: usar 1 colher das de sopa para 1 litro de água
2.2. DOSES PARA CRIANÇAS
Usar 1 gota por cada ano de idade, em suco de frutas ou mamadeira, de 3 em 3 horas, ou de acordo com a orientação médica.
Obs.: No caso de a doença não ceder à uma única medicação, também se podem usar dois medicamentos diferentes de uma só vez, misturando uma colher das de chá de cada medicamento no mesmo 1/2 copo d'água.
3. EM FORMA DE "GARRAFADAS"
A "garrafada" é um extrato liquido dos princípios ativos das plantas usadas em conjunto contra uma enfermidade.
MANEIRA CORRETA DE PREPARAR "GARRAFADAS"
Selecione no índice algumas ervas "in natura" específicas para a doença a combater. Exemplo contra o reumatismo: Batata de Sucupira, Canela de Sassafraz, Chapéu de Couro, Cipó Almêcega, Douradinha do Campo, etc.
Proceda, a seguir, de uma das seguintes maneiras:
1a) Coloque 15 g de cada planta em um litro previamente lavado , encha o vidro com vinho tipo Moscatel e, após uns 10 dias , tomar um cálice às refeições.
2a) Coloque 15 g de cada planta em1/2 litro de água pura e deixe ferver por 10 minutos. Coe e, depois de frio, acrescente 1/2 litro de mel de abelhas puro. Beber 1/2 cálice pela manhã e às refeições (3 vezes ao dia).

Conheça historias de quem emagreceu