Facebook

Erva urucum

Erva urucum

Urucu, ou urucum, é o fruto do urucuzeiro ou urucueiro (Bixa orellana), arvoreta da família das bixáceas, nativa na América tropical, que chega a atingir altura de até seis metros.

Apresenta grandes folhas de cor verde-claro e flores rosadas com muitos estames. Seus frutos são cápsulas armadas por espinhos maleáveis, que se tornam vermelhas quando ficam maduras. Então se abrem e revelam pequenas sementes dispostas em série, de trinta a cinquenta por fruto, envoltas em arilo também vermelho.

Nomes Populares e Noutras Línguas

Em cultura lusófona, chama-se ainda açafroa e também colorau (forma imprópria, a designar especificamente o condimento, também o corante, preparados à base de sementes do urucu trituradas ao pó, puras e/ou misturadas a outras).
Noutras culturas, chama-se: orleansstrauch (alemão), achiote ou onoto (espanhol), rocou (francês) e achiote ou annatto (inglês)

URUCUM - REDUZ O COLESTEROL

Bixa orellana

Descrição : Da família das Bixáceas, tambêm conhecido como colorau, urucuba, uru-uva, alçafroeira da terra e bixa. Planta de porte médio. As folhas são pecioladas, alternadas e persisitentes. As flores são pequenas, na tonalidade branco-rósea e aparecem n aponta dos galhos. Os frutos são pequenas cápsulas espinhosas, também denominadas de cachopa, contendo em seu bojo 30 a 50 sementes com arilo. Existem 2 variedades dessa planta, que se distingue pelas cápsulas de cor verde ou vermelha. O arilo ou polpa da semente fornece dios corantes naturais: a bixina que é vermelha, e a oerina que é amarela e solúvel na água. A reprodução da planta, que é de fácil adaptação, pode ser feita por estacas ou sementes, nos mese sde outubro e março, época das chuvas. Frutifica 3 anos após o plantio e a reprodução se prolonga por cerca de 30 anos. Não e exigente quanto ao solo, mas não tolera geadas.

Parte utilizada: Frutos, sementes, raiz.

História: Em tupi uru-ku significa vermelho. É usado pala população índigena da Amazônia peruana e brasileira como cosmético e fotoprotetor e como corante de cerêmica desde tempos imemorials. Um dos poucos corantes que não causam dano à saúde, hoje é utilizado industrialmente na fitocosmética mundial e como corante vermelho pera camas e amarelo pera laticínios.

Habitat: É natural da América do Sul tropical, ocorrendo das Guianas ao sul da Bahia.

Origem : América tropical, e é bem cultivadas em todos os países e nos estados do Brasil

Modo de Conservar : As sementes podem ser utilizadas frescas ou secas ao sol, em local ventilado e sem umidade. Armazenar em potes de porcelana ou vidro escuro, bem tampados.

Plantio : Floresce e dá frutos espinhudos de até 3 cms em janeiro/fevereiro e junho/agosto. Dentro dos frutos se encontram as sementes que podem ser verdes ou vermelhas. Para cultivo, semear em sacos e transplantar após 4 a 6 meses da germinação, à distância de 5 metros. Frutifica após 3 anos. Gosta de sol pleno, clima úmido, solos férteis e ricos em matéria orgânica; ressente-se de geadas.

Propriedades : Adstringentes, cicatrizante, emoliente e antiinflamatória.

Indicações : Para uso interno, combate aftas, faringites e amigdalites (gargarejos). Para uso externo, em forma de lavagens e compressas combate infecções cutâneas, erupções, queimaduras leves e celulite.

Planta Medicinal URUCUM

ACÇÃO – INDICAÇÃO – PROPRIEDADE

Raízes: digestiva, diurética.- Folha: antitérmica, diurética.

Semente: estomáquica, expectorante, vulnerária, depurativa, corante, tônico
cardíaco, febrífuga, afrodisíaca, repelente de insetos, adstringente,
antidiarréica. A bixina protege a pele contra os raios ultra violeta da luz
solar. As sementes são expectorantes e no arilio das mesmas encontra-se regular
porcentagem de vitamina C.

É utilizada como antídoto do ácido prússico, contido na mandioca.

Suas sementes também desenvolvem actividade hipotensora e contração do duodeno. Em
extratos alcoólicos produzem grande inibição em culturas de Clostridium
botulinum.

Os pigmentos do urucum são metabolizados no fígado.

As raízes pulverizadas fornecem acção anti-secretora e hipotensora semelhante a da reserpina.

DOSAGEM / MODO DE USAR URUCUM

Uso interno:
Pó: até 1 g raiz ou semente ao dia.
Infuso: 10 a 15 g de raiz ou sementes em 1 litro de água. Tomar 1 a 3 xícaras
ao dia.
Uso externo:
Infuso: aplicação tópica, como auxiliar no processo de cicatrização. Dose
diária admissível para o homem é 0,065 Mg/kg de peso corpóreo, expressa em
bixina.
Extrato oleoso: em produtos bronzeadores e protetores solares.
PRECAUÇÕES DE ARMAZENAMENTO
O pigmento das sementes de urucum tem pouca estabilidade a luz e altas
temperaturas, portanto devem ser mantidos em ambiente fresco e arejado; ao
abrigo da luz solar, em frasco âmbar.

DOSAGEM / MODO DE USAR URUCUM

Uso interno:
Pó: até 1 g raiz ou semente ao dia.
Infuso: 10 a 15 g de raiz ou sementes em 1 litro de água. Tomar 1 a 3 xícaras
ao dia.
Uso externo:
Infuso: aplicação tópica, como auxiliar no processo de cicatrização. Dose
diária admissível para o homem é 0,065 Mg/kg de peso corpóreo, expressa em
bixina.
Extrato oleoso: em produtos bronzeadores e protetores solares.
PRECAUÇÕES DE ARMAZENAMENTO
O pigmento das sementes de urucum tem pouca estabilidade a luz e altas
temperaturas, portanto devem ser mantidos em ambiente fresco e arejado; ao
abrigo da luz solar, em frasco âmbar.

Conheça historias de quem emagreceu