Facebook

chás para aborto

Erva verbasco.

VERBASCO - Buddleja brasiliensis.
Outros nomes populares: barbasco, barbasco-do-brasil, barrasco, calça-de-velho, calças-de-velha, calção-de-velha, calção-de-velho, calção-velho, carro-santo, cezarinha, tingui-da-praia, vassoura, vassourinha, verbasco-brasileiro e verbasco-do-brasil.

INDICAÇÃO: Chá de Verbasco >>> Bronquite, catarros crônicos, tosse, artrite, hemorróidas e próstata.

COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa de erva para um litro de água, quando a água alcançar fervura, desligue. Tampe e deixe a solução abafada por cerca de 10 minutos. Em seguida, é só coar e beber.

COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia.

Buddleia brasiliensis

Descrição : Plana da família das loganiaceae. tambêm conhecida como barbasco, verbasco, vassoura e calção de velho. Planta perene, arbustiva, aveludada, com ate 1,40cm de altura. Caule ereto, quadrangular e linico, que se ramifica pouco no apice, folhas pequenas, pecioladas, opostas, ovais, verde-escuro na pagina superior e esbranquigada na inferior; Pequenas flores amarelas, em racemos apicais em forma de espiga. O fruto e uma capsula com 2 lojas. As flores, meliferas, tem cheiro de mel e as folhas tem sabor suavemente amargo. Reprodução por sementes, não sendo exigente quanta ao solo e água.

Parte utilizada: Folha e flores.

Habitat: Vegeta no nordeste, sudeste e sul do pais. Floresce no outono, e planta ruderal.

Historia: não deve ser conf undida com o Verbasco europeu, apesar de terem ambas as plantas propriedades semelhantes.

Erva verbasco Ativos.

Princípios Ativos: saponinas, mucilagens, taninos.

Propriedades medicinais: Usos etnofarmacologicos: analgesico, expectorante, bequico, peitoral, diaforetico, emoliente, anti-reumatica, anti-hemorroidal.

Indicações: Analgesico; Emoliente; Afeccoes respiratorias: asma, bronquite, traqueite, rouquidao como peitoral, expectorante, antitussigeno e antialergico; Antiespasmodico. Anti-hemorroidal; Reumatismos, contusões acompanha-das de dores, artrites, dores em geral.

Uso pediátrico: As mesmas indicações possíveis.

Posologia: Adultos: Até 40ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluídos em água, em uso interno para todas as indicações; 1,5g de flores (1 colher de chá para cada xícara de água) em infuso até 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12hs; 2g de planta seca (1 colher de sopa para cada xícara de água) em infuso para uso interno em todas as indicações; 20 a 30g de planta seca para infuso em uso externo para compressas e banhos em afecções reumáticas e dores; Óleo preparado com 30g de flores para 100ml de óleo vegetal prensado a frio, para massagem em reumatismos; Crianças tomam de 1/3 a 1/i dose, de acordo com a idade.

Verbasco Resumo.

Verbasco: planta medicinal para tratar a tosse (ação expectorante), pode ser encontrada em forma de infusão (chá) ou xarope.

Nomes
Nome em português: Verbasco
Nome latim: Verbasci phlomoides ou Verbascum densiflorum
Nome inglês: great mullein, verbascum
Nome francês: Bouillon blanc, molène
Nome alemão: Königskerze
Nome italiano: verbasco

Família
Scrophulariaceae (Escrofulariácea)

Constituintes
Mucilagens, flavonóides, saponinas.

Partes utilizadas
Flores, folhas

Efeitos do verbasco
Expectorante, diurético, emoliente.

Indicações do verbasco
Uso interno (geralmente à base de flores)
- Tosse (tosse produtiva, com expectoração), bronquite, resfriados, traqueíte.

Uso externo (geralmente à base de folhas)
- Hemorróidas, prurido anal, furúnculos, panarício.

Efeitos secundários
Desconhecemos

Contra-indicações
Desconhecemos

Interações
Desconhecemos

Preparações à base de verbasco

- Infusão de flores de verbasco

- Xarope de flores de verbasco

- Cataplasma de folhas de verbasco (para uso externo)

- Decocção de folhas de verbasco (para uso externo)
Onde cresce o verbasco?
O verbasco cresce tanto na Europa, nos Alpes como na Ásia.

Quando colher o verbasco?
As flores de verbasco são colhidas no verão europeu (floração de junho a agosto).

Observações
Esta planta pode ser encontrada em infusões à venda em farmácias e é eficaz na indicação mencionada acima (tosse). O verbasco é facilmente encontrado na natureza da Eurpa ( por exemplo, nos Alpes franceses). É possível secar as flores em casa e fazer a sua própria infusão, um tratamento a um baixo custo.

Buddleja stachyoides.

Buddleja stachyoides - Verbasco
Nomes populares

Verbasco, barbasco, calção-de-velha, calção-de-velho, carro-santo, cezarina, fuminho, tingui-da-praia, vassoura, verbasco-brasileiro, verbasco-do-brasil

Nome científico

Buddleja stachyoides Cham. Schltdl.

Basionônio

Sinônimos

Buddleja alata Larrãnaga

Buddleja albotomentosa R. E. Fr.

Buddleja australis Vell.

Buddleja brasiliensis Jacq. Ex Spreng.

Buddleja connata Mart.

Buddleja neemda Link.

Buddleja otophylla Hassk.

Buddleja thapsoides Desf.

Família

Scrophulariaceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Arbustos com 1-4 m de altura, ramos quadrangulares, levemente alados, densamente revestidos com pêlos alvos ou rufo-tomentosos. Folhas sésseis ou subsésseis; estípulas reduzidas a uma linha; lâminas ovadas ou lanceoladas, 7-25 cm de compr., 2-8,5 cm de larg., agudas até acuminadas no ápice, margens irregularmente serreadas até crenadas, auriculadas ou perfoliadas até atenuadas na base, pubescente na face inferior. Inflorescência 10-30 cm de compr., formada por glomérulos interruptos dispostos em espigas, glomérulos multiflores, com flores sésseis ou subsésseis em cimas curtas e congestas; pedúnculos 0,5-2 cm de compr.; brácteas linear-lanceoladas, tomentosas. Cálice cilíndrico, tomentoso externamente, tubo 2-4 mm de comprimento, lobos 1,5-3 mm de compr., acuminados; corola cilíndrica, tomentosa externamente, pêlos simples na metade superior internamente, tubo 6,5-7 mm de compr., lobos 1,5-2,5 mm de compr., suborbiculares; anteras cerca de 1 mm de compr.; ovário tomentoso, 2,5-4 mm de compr.; estilete glabro, 5-5,5 mm de compr.; estigma capitado, cerca de 0,5 mm de compr. Cápsula oblonga, tomentosa até glabrescente, 4-6,5 mm de compr. Sementes cerca de 1 mm de compr., com testa esponjosa na base (FERREIRA, 1988, p. 59).

Conheça historias de quem emagreceu