Facebook

Fedegoso

Fedegoso

O que é: Fedegoso de nome científico Cassia occidentalis L., é uma planta medicinal também conhecida como café negro e folha do pajé. Fedegoso é da família das leguminosas, e é utilizada principalmente para o tratamento de anemia. Propriedades Diurética, laxante, antibacteriana, analgésica, anti-reumática, anti-séptica e anti-inflamatória. Para que serve Icterícia, anemia, bronquite, complicações menstruais, dor de cabeça, dores gastrointestinais, febre, doenças hepáticas, nevralgias, queimaduras, sarampo, sarnas e amenorreia. Contra-indicações Mulheres grávidas ou em fase de lactação, também deve ser utilizada com cautela em crianças pequenas. Efeitos colaterais Abortos Modo de usar Para fins terapêuticos são utilizadas as cascas, folhas, sementes e raízes. Podem ser ingeridos em forma de chá, em forma de tempero e como complementos do café. Febre: Adicionar 10g do pó de Fedegoso em ½ de água fervente, coar e beber 2 xícaras de chá ao dia. Problemas de fígado: Beber um gole de chá de 2 em 2 horas. Super dosagem Altas doses de Fedegoso podem causar intoxicações nos rins.

FEDEGOSO Propriedades medicinais

Cassia occidentalis Descrição : Da família das Fabaceae, também conhecida como balambala, café-negro, folha-do-pajé, fedegoso-verdadeiro, ibixuma, lava-prato, mangerioba, mamangá, mata-pasto, maioba, pajamarioba, pereriaba, taracurú; Arbusto ou árvore que cresce desde o Esatdo do Amazonas até o Peraná. De raiz grossas, folhas pequenas e ovais, caule com muitos ramos, flores amarelo-alaranhjadas. O fruto é uma vagem comprida. Toda planta tem cheito forte, desagradável, de sabor amargo. Parte utilizada: Cascas, folhas, sementes, raízes. Princípios Ativos: Antraquinonas, aloe-emodina, antrona, aurantiobtusina, criso-obtusina, ácido crisofânico, crisofanol, crisoeriol, emodina, kaempferol-3-soforosídeo, ácido lignocérico, ácido linoléico, manitol, ácido oléico, ácido palmítico, reína, obtusina, obsutsifolina, rubrofusarina, sitosterol. Propriedades medicinais: Analgésica, antianêmica (semente), antiasmática, antibacteriana, antídoto de venenos, antiespasmódica, antifúngica, anti-hepatotóxica, anti-herpética, antiinflamatória, antimalárica, anti-reumática, anti-séptica, antivirótica, carminativa, colagoga, depurativa, desobstruentes (raiz), diaforética, diurética, emenagoga, estomáquica, febrífuga, hepatoprotetora, hepatotônico, inseticida, laxante, oftálmica, purgativa, sarnicida, sudorífera, tônica, vermífuga (raiz). Indicações: Anemia, bronquite, cicatrização, coqueluche, complicações menstruais, contusão, distensão muscular, dor, dor de cabeça, dores gastrointestinais, doenças hepáticas, doenças venéreas, eczemas, epilepsia, erisipela, erupções cutâneas, febre, febre biliosa, ferida, fígado, fungo, gases, hepatite, hemorróidas, impaludismo, impigens, inflamação, inflamações uterinas, malária sementes tostadas), nevralgias, paludismo, porrigem (afecção cutânea), picada de escorpião, queimaduras (suco), reumatismo, sarampo, sarna, torção muscular, tuberculose, vermes.

Significado de Fedegoso

adj. Que exala mau cheiro; fétido. S.m. Nome de várias plantas, algumas com propriedades medicinais, forrageiras, outras ornamentais. (Família das leguminosas-cesalpiniáceas, gênero cássia.) Definição de Fedegoso Classe gramatical de fedegoso: Substantivo masculino e Adjetivo Separação das sílabas de fedegoso: fe-de-go-so Plural de fedegoso: fedegosos

Senna occidentalis L. Cassia occidentalis L.

FEDEGOSO Nome científico Senna occidentalis (L.) Link (=Cassia occidentalis L.). Família Leguminosas-Cesalpiniáceas Hábito Arbusto ereto, de 0,5 a 1,6 m de altura Ciclo Perene, ou anual. Flor e vagem quase o ano todo. Fácil propagação por semente, inclusive por meio do esterco. Habitat Qualquer solo, áreas perturbadas geralmente não inundáveis, em sedes de fazenda, estradas, currais, roças e pastagens cultivadas, lagoas secas e principalmente em malhadouro e ao redor de cocho de sal. Distribuição Freqüente em todas as sub-regiões. Invasora cosmopolita tropical. Controle É facilmente eliminada com roçadeira ou foice, que devem ser utilizadas antes da formação de sementes. A cheia é uma forma de controle natural. Condições relacionadas à intoxicação As folhas, caule, vagens verdes e sementes desta planta são tóxicas, porém, é na semente que sua toxidez é maior e foi comprovada. No Pantanal as folhas são pouco pastadas, mas as vagens secas são comidas pelos bovinos. Como são pouco digeridas, as sementes são espalhadas com as fezes, onde germinam. No sul do País ocorrem surtos de intoxicação por ingestão desta planta após períodos de geadas. A intoxicação também se dá quando são fornecidas rações de grãos de cereais moídos e contaminados com sementes de fedegoso. O seu princípio tóxico possui efeito cumulativo, mas é destruído pelo calor (fervura e torrefação, caso do "café" de fedegoso). Sinais clínicos da intoxicação No bovino, os sinais da intoxicação se iniciam com diarréia, fraqueza muscular e incoordenação motora, principalmente dos membros posteriores. O animal apresenta tremores e relutância em caminhar e, quando caminha, arrasta as pontas dos cascos traseiros. No final do quadro da intoxicação, a diarréia aumenta e o animal enfraquecido cai e não se levanta mais. Causa degeneração e necrose dos músculos. Quantidade letal Não é conhecida a quantidade de folhas que leva um bovino à morte, mas a intoxicação experimental pelas sementes está em torno de 10 g/kg de peso vivo. Princípios tóxicos prováveis N-metilmorfolina (alcalóide) e oximetilantraquinonas (albumina).

Conheça historias de quem emagreceu