Facebook

Feno-grego

Feno-grego

O Feno-grego aumenta os níveis de testosterona Os indivíduos que tomem diariamente 500 mg de extrato de feno-grego aumentam a quantidade de testosterona bio-disponível no seu sangue. Isto segundo o que escreveram cientistas de desporto da universidade de Mary Hardin-Baylor no International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism. O seu estudo sugere que o fenugreek tem um efeito anti-estrogénico. Vários estudos realizados em animais e seres humanos sugerem que o feno-grego tem um ligeiro efeito anabólico. De acordo com o patrocinador desses estudos, a empresa indiana Indus Biotech, isto acontece porque o feno-grego potencia os níveis de testosterona, mas na verdade os estudos não proporcionam provas disso. Mas depois temos o estudo em que se baseia este artigo. Foi publicado em 2010 e foi realizado por um grupo de investigadores americanos respeitados. Para a realização do mesmo, foram recrutados 30 atletas de força jovens, com a idade média de 21 anos. Metade dos atletas tomarem uma dose diária de 500 mg de extrato de feno-grego[AI] durante 8 semanas. O extrato foi produzido pela empresa Indus Biotech, que neste caso também foi o patrocinador do estudo. O extrato foi estandardizado para graecunins, um grupo de substâncias do tipo esteroides – espirostanos para sermos exatos – presentes no feno-grego (fenugreek em inglês). A outra metade do grupo recebeu um placebo [PL]. Nas oito semanas que durou o estudo, ambos os grupos aumentaram a sua força pela mesma quantidade. T1 = semana 0; T2 = semana 4; T3 = semana 8.

Feno grego planta que ajuda a emagrecer

Feno-grego A planta que ajuda a emagrecer ou faz engordar consoante o seu objetivo Esta planta (também conhecida por alfarva ou alforva) é originária da Índia e Paquistão. O seu nome deriva do facto de ter sido muito utilizada na Grécia quando foi introduzida na zona mediterrânica. Vários estudos confirmaram que o feno-grego reduz o risco de alguns tipos de cancro como leucemia (International Journal of Molecular Medicine, 2003), osteosarcoma (International Journal of Oncology, 2003) e cólon (Cancer Epidemiol, Biomarkers & Prevention, 2004). Na diabetes, muitos estudos indicam uma redução dos valores da glicose e nas dislipidemias, do colesterol total e subida do HDL. Num estudo realizado no Departamento de Medicina Integrada da Universidade de Huazhong, na China, 46 pacientes com diabetes tipo II que já não estavam bem controlados somente com sulfonilureias (antidiabéticos orais), alcançaram melhorias (diminuição dos níveis de glicose) quando juntaram o feno-grego, ao longo de 12 semanas, comparativamente ao grupo que continuou somente a tomar o fármaco. Princípios ativos Destaque para a 4-hidroxisoleucina, um aminoácido responsável por grande parte do efeito desta planta a nível lipídico e glicémico. Estimula a produção de insulina por um efeito direto nos ilhéus de Langerhans (células do pâncreas que produzem insulina). Contém também diosgenina, uma saponina com efeito hormonal, precursora de progesterona, e esteroides anti-inflamatórios como a cortisona. Além disso tem ação anticancerígena. Tem um elevado conteúdo de proteínas, fósforo sob a forma de lecitina, inositofosfato de cálcio e magnésio, o que contribui para a sua ação tónica. Inclui ainda colina, com ação sobre os lípidos; trigonelina, um alcaloide (também presente no café) que ajuda a prevenir cáries dentárias por inibir a aderência de algumas bactérias aos dentes; e mucilagens, com efeito regenerador dos tecidos e laxante suave.

FENO GREGO Trigonella fenum-graecum

Descrição : Planta da família das Leguminosas, também conhecida como Alforfa. Planta anual, ereta cresce até 60 cm de altura. Raiz longa, caule vigoroso, redondo e ereto ou inclinante e ramificado. Folhas pecioladas trifoliadas, foliolos oblongo-lanceolados, membranosos e levemente pubescentes. Longas flores solitaries ou em par na axila das folhas, quase sesseis. Corola amarela pálido ou brancas, corola grande, obtusa, redonda. O fruto e uma vagem longa, fina, pubescente, em formato de espada, com uma ponta longa e curvada, com 4 a 20 sementes achatadas, angulares, dividas em 2 metades por um sulco profundo, amarelo-amarronzadas e muito duras quando secas. Parte utilizada: Sementes maduras e secas. Habitat: É comum do Mediterraneo a Índia e China, até a Etiópia e Turquia. História: Foi usada como condimento na Europa por muitos séculos e ainda hoje e um ingrediente muito popular na Índia e Ásia; Fez parte de uma patente do século XIX contra dismenorreia e menopausa; Ja foi usado como substitute da insulina; Faz parte das farmacopeias ayurvedica e chinesa. Propriedades : Laxante e emoliente. Indicações : Em casos de anemia e inflamações em geral. Aplicada em forma de cataplasma , combate as hemorróidas. Um cataplasma feito do pó das sementes misturado com vinagre de maçã diluido é empregado para aliviar dores provocadas por gota, nevralgia, ciática, gânglios inchados e irritações da pele. As irritações do estômago e dos intestinos são aliviadas coma ingestão de uma decocção das sementes. As sementes germinadas do feno grego são uma valiosa contribuição à dieta de diabéticos, podendo ser ingeridas em sanduíches ou sopas. Devido a similariedade que possui com o óleo de fígado de bacalhau, tem sido usado no tratamento de raquitísmo. USO pediátrico: Não há relatos de contra-indicaçao, e tão pouco de indicações

Feno-grego - emagrece e previne diabete e câncer

O feno-grego (também conhecido por alfarva ou alforva) é originário da Índia e do Paquistão. Vários estudos confirmaram que o feno-grego reduz o risco de alguns tipos de câncer, como leucemia, osteosarcoma e câncer de cólon. Na diabete, muitos estudos indicam uma redução dos valores da glicose e nas dislipidemias, do colesterol total e da subida do HDL. Num estudo realizado no Departamento de Medicina Integrada da Universidade de Huazhong, na China, 46 pacientes com diabetes tipo II que já não estavam bem controlados somente com sulfonilureias (antidiabéticos orais) alcançaram melhorias (diminuição dos níveis de glicose) quando juntaram o feno-grego, ao longo de 12 semanas, comparativamente ao grupo que continuou somente a tomar o fármaco. Princípios ativos Destaque para a 4-hidroxisoleucina, um aminoácido responsável por grande parte do efeito desta planta em nível lipídico e glicêmico. Estimula a produção de insulina por um efeito direto nos ilhéus de Langerhans (células do pâncreas que produzem insulina). Contém também diosgenina, uma saponina com efeito hormonal, precursora de progesterona, e esteroides anti-inflamatórios, como a cortisona. Além disso, tem ação anticancerígena. Tem um elevado conteúdo de proteínas, fósforo sob a forma de lecitina, inositofosfato de cálcio e magnésio, o que contribui para a sua ação tônica. Inclui ainda colina, com ação sobre os lípidos; trigonelina, um alcaloide (também presente no café) que ajuda a prevenir cáries dentárias por inibir a aderência de algumas bactérias aos dentes; e mucilagens, com efeito regenerador dos tecidos e laxante suave. Além disso, o feno-grego é uma planta digestiva que está associada ao melhor funcionamento do sistema digestivo e tem propriedades para reduzir o apetite, por isso pode ser usado em programas de emagrecimento. A Universidade de Minnesota trabalhou com 18 pessoas obesas com idade média de 32 anos. Deram-lhes de 4 a 8 gramas de extrato de feno-grego no café da manhã. Após isso, verificou-se que o feno-greco permite reduzir o apetite, ajudando a seguir uma dieta de forma mais rigorosa e evitando as ingestões fora de hora.

Conheça historias de quem emagreceu