Facebook

Fitolaca

Fitolaca

Há tempos, a minha amiga Paula Soveral, membro do Conselho Técnico da Sociedade Portuguesa de Naturalogia e com consultório de terapias na respectiva sede, pediu-me para abordar uma planta que, segundo ela, se encontrava na moda e dava pelo anglófono nome de "poke root". A citada planta serviria para curar inúmeras doenças, entre as quais, o cancro e a sida. Confesso que, com aquela designação, nada descortinei e, como tenho por hábito só escrever sobre plantas que conheço, pelo menos visualmente, não dei andamento ao pedido. Mais tarde, todavia, fiz uma pesquisa e descobri que a tal "poke root" era, nada mais, nada menos, do que a minha conhecida "tintureira", ou fitolaca. Mas aonde a encontrar para esclarecer a Paula? Quis o destino que, ao participar numa marcha de protesto "sui generis" contra os abusos do Governo, a qual saiu da Praça do Príncipe Real com destino à Baixa, me deparasse com a tal "poke root" que a Paula ansiava conhecer. Estava nas proximidades da Rua da Palmeira, num espaço de reconstrução expectante, em pleno Bairro Alto. De imediato lhe comuniquei o achado, mas tive o cuidado de lhe refrear os ímpetos, pois esta planta ruderal é venenosa e pode até causar a morte se não a soubermos usar convenientemente.

Fitolaca Phytolacca americana

A Fitolaca, (Phytolacca americana L.) planta da família Phytolaccaceae, é também designada vulgarmente por uma longa série de outros nomes (Baga-moira; Erva-dos-cachos-da-Índia; Erva-dos-cancros; Erva-dos-tintureiros; Erva-tintureira; Tintureira; Uva-da-América; Uva-dos-tintureiros; Uva-dos-passarinhos, além de outros). Originária da América do Norte, encontra-se actualmente naturalizada em muitas outras regiões, onde foi introduzida para utilização das bagas em tinturaria, finalidade que encontra expressão em vários dos seus nomes comuns. Em Portugal ocorre principalmente nas regiões do centro e norte do Continente, à margem de caminhos e em terrenos incultos, mas sobretudos em terrenos cultivados ou em pousio, preferindo solos argilosos, com alguma humidade e aráveis, onde as suas raízes (que chegam a atingir grandes dimensões) se podem desenvolver em melhores condições. É considerada pelos agricultores como planta infestante e de difícil erradicação, pois das suas raízes, mesmo que parcialmente destruídas pelas lavras, brotam novas plantas, na primavera seguinte. As suas raízes são usadas em fitoterapia, para tratamento de várias doenças, incluindo as reumatismais e o cancro, além de várias outras. Não tendo certezas sobre a utilidade dos tratamentos, do que parece não haver dúvidas é que as suas bagas (se é que não se pode dizer o mesmo em relação a todas as partes da planta) são tóxicas, toxicidade que, todavia e aparentemente, não afecta as aves que delas se alimentam. Provavelmente, porque conhecem a medida certa e não abusam. Nos seres humanos adultos, 10 bagas já são suficientes para originar intoxicação.

Significado de Fitolaca

Fitolaca sf Bot Gênero (Phytolacca) típico da família das Fitolacáceas, constituído de ervas perenes e ocasionalmente árvores, a maioria tropicais e venenosas, que têm por fruto uma baga com 5 a 15 células. Inclui o caruru-de-cacho, o caruru-bravo e o espinafre-da-guiana. Definição de Fitolaca Classe gramatical de fitolaca: Substantivo feminino Separação das sílabas de fitolaca: fi-to-la-ca Plural de fitolaca: fitolacas

FITOLACA - Phytolacca decandra

FITOLACA - Phytolacca decandra. Phytolacca decandra (sin.= P. americana, nome comum caruru do campo) é uma planta herbácea ou subarbustiva da família Phytolaccaceae, nativa do continente. Ocorre desde os Estados Unidos até a Argentina e está distribuída por todo o Brasil, principalmente nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul. INDICAÇÃO: Chá de Fitolaca >>> Laxante leve, reumatismo, antiinflamatório, depurativo e obesidade. COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa de erva para um litro de água, quando a água alcançar fervura, desligue. Tampe e deixe a solução abafada por cerca de 10 minutos. Em seguida, é só coar e beber. COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia.

Conheça historias de quem emagreceu