Facebook

Chá de CHLORELLA

Chá de CHLORELLA

Perguntas e respostas sobre Chlorella Para sanar duvidas, fiz uma seleção de perguntas e respostas de alguns sites: 01. Tenho um problema de tireóide, posso tomar Chlorella? Sim, a Chlorella não contém iodo. 02. A partir de que dose de Chlorella é nociva? A superdosagem é impossível. A Chlorella é um complemento nutritivo excepcional. Inclusive é possível tomar 100gr por dia (400 comprimidos), sem nenhum perigo. 03. A Chlorella é compatível com o café e o chá? Totalmente, pode tomar café e chá junto com a Chlorella, sem nenhum temor. 04. A Chlorella é incompatível com o álcool? Não há nenhuma incompatibilidade nem interação com as bebidas alcoólicas. 05. Podem-se produzir efeitos colaterais? Não, em absoluto. A Chlorella é muito bem aceita por todos. 06. Posso tomar Chlorella, apesar de ter uma úlcera no estômago ou no duodeno? Sim, sem nenhum problema. Certamente a Chlorella lhe ajudará na cicatrização das úlceras. 07. E no caso de diabetes, pode-se tomar Chlorella. Também pode tomá-la, sem nenhuma restrição. 08. As crianças podem tomar Chlorella? Sim, inclusive é recomendado que tomem Chlorella para estimular o crescimento. 09. As mulheres grávidas ou em período de latência, podem tomar Chlorella? Sim, a Chlorella favorece o crescimento do bebê e dá forças para a mãe. 10. Além de Chlorella, devo tomar outros complementos, como minerais ou vitaminas? Não, em absoluto, já que a Chlorella é suficientemente rica nos elementos essenciais.

Investigação dos efeitos da Chlorella

Investigação dos efeitos da Chlorella vulgaris e do extrato do chá vede (Camellia sinensis) em animais transplantados com as linhagens mielomonocíticas P39 e HL-60 Beneficiário: Andrana Karla Calgarotto Instituição: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil Pesquisador responsável: Sara Teresinha Olalla Saad Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado Processo: 12/06675-7 Vigência: 01 de junho de 2012 - 31 de maio de 2014 Assunto(s): Chlorella vulgarisBolsas no Brasil - Pós-Doutorado Resumo Embora nas últimas décadas a indústria farmacêutica tenha priorizado sua pesquisa com substâncias sintéticas, atualmente a necessidade por compostos mais eficazes e com menos efeitos colaterais têm aumentado consideravelmente o interesse em terapias alternativas que utilizam produtos naturais, especialmente derivados de plantas. Estudos anteriores pelo nosso grupo identificaram a Chlorella e o extrato de chá verde como potenciais drogas imunomoduladoras. Estes produtos podem também reduzir a proliferação celular e induzir a morte de células neoplásicas. A comprovação de que espécies como a Chlorella vulgaris e do extrato do Chá vede (Camellia sinensis) possam interferir nos mecanismos moleculares envolvidos na patogenia do câncer, possibilitaria a sua utilização clínica. Assim, pretendemos investigar as vias de sinalização envolvidas na ação destas drogas, em células leucêmicas P39 e HL-60 inoculadas em camundongos NOD/SCID. Considerando a nossa experiência e instrumentalização para a investigação fisiopatológica, pretendemos estudar completamente o mecanismo de ação destes compostos.

CHLORELLA: o super alimento

A Chlorella é uma alga comestível de grande valor nutricional, usada em diversas situações como fadiga, estresse, desintoxicação do fígado, úlceras, melhora do sistema imunológico, dificuldade de concentração e memorização, anemia entre outras. O nome Chlorella provém do grego chloros: verde; e do sufixo diminutivo latino ella: "pequeno", ela mede de 2 a 10 μm de diâmetro, é aproximadamente do tamanho de uma hemácia humana, e contém pigmentos verdes fotossintetizadores conhecidos como clorofila, e por isso conseguem converter elementos químicos inorgânicos em matéria orgânica. Ao contrário do que muitos pensam, a Chlorella não é originária do Oriente, ela cresce de forma natural na Holanda desde o século II a.C e foi pesquisada por muitos anos como não alimento até 1940, quando o Carnegie Institute interessou-se por ela. Mas foram os japoneses que reconheceram seu valor e receberam a Chlorella "bruta" que foi então polida, melhorada, tornando-a digerível e um grande potencial nutricional e terapêutico. O Japão iniciou os experimentos com Chlorella em 1951 com o Dr. Hiroshi Tamiya, do Instituto Biológico de Tokugawa. Suas pesquisas foram patrocinadas pela Fundação Rockfeller e pelo Governo Japonês. O Japão é pioneiro no desenvolvimento da tecnologia do cultivo, colheita e processamento da Chlorella em escala comercial, por isso acabaram levando a fama. Quando o potencial da Chlorella foi reconhecido, Alemanha, ex-URSS, Israel, China e Inglaterra juntos com o Japão e EUA ocuparam-se das pesquisas científicas. Os programas espaciais dos EUA e ex-URSS têm pesquisado o potencial da Chlorella como "alimento espacial".

CHLORELLA GREEN ou Chlorella Pyrenoidosa

A Chorella (Chlorella Pyrenoidosa) é a maior fonte de clorofila existente na terra, nutre e ajuda a desintoxicar o organismo e consequentemente ajuda aumentar a resistência imunológica. O maior valor da Chlorella consiste em um componente chamado Fator de Crescimento Chlorella (FCC), que é muito rico em ácidos nucléicos RNA e DNA. O FCC é o fator que permite, durante a intensa fotossíntese, uma rápida taxa de reprodução, ou seja cada célula se multiplica em quatro novas células a cada 20 horas.A produção de RNA e DNA, denominados fatores da vida longa pelas células diminui com a idade, resultando em níveis mais baixos de vitalidade, deterioração física e suscetibilidade a doenças. O FCC estimula a recuperação dos tecidos, protege a integridade das células, melhora a absorção de nutrientes e regula a produção de energia. Ajuda também na recuperação de materiais genéticos lesados, protege a saúde dando suporte às funções celulares vitais e retarda o processo de envelhecimento. Contém aproximadamente 60% de proteínas, 18 aminoácidos (incluindo todos os aminoácidos essenciais), vitaminas e minerais. Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo. Quanto às vitaminas, contém mais do que 20 tipos de vitaminas e minerais, com destaque para Beta Caroteno (Vitamina A) e vitamina B12 sendo esta última difícil de ser obtida através dos alimentos. Chlorella contém proporcionalmente mais vitamina B12 do que o bife de fígado sendo comum a falta desta vitamina em dietas vegetarianas e macrobióticas. Além da vitamina A e B12, a chlorella possui também vitamina C, vitamina E, vitamina K e outras em menor quantidade. Em relação à presença de minerais, a chlorella apresenta quantidades consideráveis de cálcio, magnésio, zinco, ferro, fósforo, potássio e outros.

Conheça historias de quem emagreceu