Facebook

Chá para cistite

Chá para cistite

Chá de ervas para a cistite! O termo cistite refere-se uma infecção da bexiga, no entanto, é muitas vezes usado para descrever uma ampla gama de infecções do trato urinário inferior. A cistite provoca uma série de sintomas desconfortáveis, incluindo descoloração e forte cheiro na urina, dor e/ou dificuldade em urinar, fraqueza e desconforto abdominal. Ela é frequentemente tratada com antibióticos, mas há uma série de remédios naturais que tanto podem tratar quanto evitar a cistite. Tipos de cistite Como o termo é usado para definir uma grande gama de problemas, é importante entender os diferentes tipos de cistite, que incluem: cistite crônica, cistite intersticial, cistite intersticial auto-imune e cistite eosinofílica. As pessoas que são frequentemente afetadas por cistite, sofrem de cistite crônica. Cistite crônica pode causar mudanças estruturais na bexiga e torná-la vulnerável a infecções mais graves. Cistite que não é causada por uma infecção bacteriana e não tem nenhuma causa aparente é chamada de cistite intersticial. Cistite Intersticial autoimune é causada por uma desordem do sistema imunológico do corpo. Cistite eosinofílica é caracterizada por sangue na urina. Neste tipo de cistite, a infecção é tão severa que tem a aparência de um crescimento tumoral na bexiga.

Chá para cistite: COMO TRATAR NATURALMENTE

Chá para cistite: COMO TRATAR NATURALMENTE Cistite é uma infecção e/ou inflamação da bexiga. Em geral, é causada pela bactéria Escherichia coli, presente no intestino e importante para a digestão. No trato urinário, porém, essa bactéria pode infectar a uretra (uretrite), a bexiga Cistite ou os rins (pielonefrite). Outros microorganismos também podem provocar cistite. Homens, mulheres e crianças estão sujeitos à Cistite. No entanto, ela é prevalente nas mulheres porque as características anatômicas femininas favorecem sua incidência. A uretra da mulher, além de muito mais curta do que a do homem, está mais próxima do ânus. Nos homens, depois dos 50 anos, o crescimento da próstata e a conseqüente retenção de urina na bexiga podem causar Cistite. 5 truques para aliviar os sintomas da cistite As mulheres são mais propensas a infecções urinárias, também chamdas de citites, pois têm a uretra mais curta, permitindo que bactérias alcacem a bexiga com maior facilidade. Uma causa comum para a infecção é a ingestão insuficiente de líquidos. Outra é o resfriado da bexiga, ou seja, ficar sentada durante muito tempo sobre superfícies frias ou não torcar roupas de banho úmidas imediatamente. Aprenda alguns truques contra as necessidades urgenes de urinas e as dores causadas por esse mal: 1 – Chá de ervas quente ajuda na limpeza da bexiga e alivia as dores. 2 – Sucos cítricos, como o de mirtilo ou groselha, baixam o pH da uria e dificulta a reprodução de bactérias. 3 – Mastigar 1 colher (sopa) de sementes de abóbora três vezes ao dia ajuda a aliviar as dores. 4 – Salada fresca de agrião e urtiga tem efeito diurético e elimina bactérias do organismo. 5- O calor ajuda a aliviar as dores agudas: coloque uma almofadinha de sementes aquecida entre as pernas e/ou sobre a bexiga. Se a infecção não demonstrar nenhuma melhora após 3 dias, consulte um médico imediatamente. fonte: livro O melhor da Sabedoria Popular

Sintomas da cistite

Sintomas da cistite. Sintomas da cistite Os sintomas da cistite são: Urina turva com vestígios de sangue; Desejo frequente e urgente de urinar; Micção noturna mais frequente; Sensação de queimação ou dor na região lombar e ligeiramente acima da zona pubiana, durante a micção. Causas da cistite A cistite pode ser causada por: Relações sexuais: devido ao atrito do pênis com a uretra; Devido a fístula vésico-vaginal, uma alteração genética; Próstata infeccionada; Devido a fístula vésico-entérica, também uma alteração genética.

Chás para amenizar os sintomas da cistite

A cistite é uma infecção causada por bactérias (ou em alguns casos, fungos) que atacam a bexiga, órgão funcional do sistema urinário, responsável pelo armazenamento da urina. Esses agentes causadores da inflamação geralmente vêm do intestino, presentes nas fezes. Homens e mulheres podem ser afetados pela ação bacteriana, mas as mulheres estão mais vulneráveis devido à proximidade do ânus e da vagina, consequência da menopausa ou uso de diafragmas. Nos homens, o problema pode surgir devido ao crescimento da próstata. Os sintomas podem variar dependendo do caso, mas em geral o paciente apresenta: Vontade constante de urinar e dificuldade, por vezes sentindo ardência; Dores na região ventral ou costas, próximo à bexiga; Febre; Presença de sangue (em casos graves). Se os sintomas forem esses, é necessário que a coleta da urina seja realizada para análise, o número de compostos dela será avaliado para o possível diagnóstico da doença. Por vezes os sintomas da cistite podem ser confundidos com cálculo nos rins, que diferente da cistite já que apresenta pedras de cálcio no interior dos rins. É necessária, no caso das mulheres, a higiene da região vaginal para evitar contaminações, roupas íntimas e absorventes devem estar sempre limpos e o uso de roupas confortáveis auxilia na ventilação da região, pois fungos se adaptam melhor à lugares quentes e úmidos. Um fato curioso é que o indivíduo sexualmente ativo pode contrair a cistite, nesses casos, recomenda-se urinar sempre após o ato sexual, pois a urina expele as bactérias presentes. Casais que praticam sexo anal não devem utilizar o mesmo preservativo, pois essa troca do ânus para a vagina pode causar a contaminação na mulher. Tratamento natural O tratamento da patologia é feito com o uso de antibióticos ou até quimioterápicos, dependendo do tipo de bactéria encontrado no exame. A mais comum é a Escherichia coli. Com sintomas iniciais, um tratamento caseiro pode fazer a diferença e até mesmo dispensar o uso de medicamentos, que em geral é feito por meio de chás, já que o importante para a bexiga é água, somamos a polaridade da água mais aditivos naturais, que auxiliam no combate às bactérias. Recomendações de chás e sucos Bater em um pouco de água as sementes cruas da abóbora, tomando de hora em hora; Tomar diariamente um copo do suco de pepino sem açúcar; Alternar o consumo de melancia, maçã e melão, substituindo uma das refeições; Chá de cavalinha, utilizando três colheres de sopa da planta picada, para cada 1 litro de água. Tomar 3 xícaras ao dia; Beber bastante água. É necessário, contudo, um acompanhamento médico para avaliar a gravidade da doença, pois essas receitas são eficazes para prevenção ou tratamento inicial da mesma.

Conheça historias de quem emagreceu