------------------------

chas medicinais.

Chás medicinais
Foi por isso que deixei a novela de lado (rs) e vim aqui fazer esse pequeno guia para vocês.

Alecrim: poderoso cicatrizante, é também chamado de omeprazol natural por ser digestivo e auxiliar no tratamento de gastrites. Atenção se tiver doenças de próstata ou histórico de convulsão.

Alho: Dá aquele tchau para a tosse e a gripe em geral; é antiinflamatório e ajuda a diminuir a taxa de colesterol.

Boldo do chile: Para aqueles que sofrem de problemas digestivos, como a azia, nos casos de exagero no consumo da bebida alcoólica; e gastrite. Poderoso para auxiliar o processo digestivo, mas não deve ser evitado porque quem tem obstrução das vias biliares, doenças no fígado e gestantes.

Camomila: Naquele dia de cão, te deixa calminho, calminho. É natural, aumenta a atividade antibacteriana e atenua cólicas, já que diminui os espasmos musculares. Ótimo para gestantes e mulheres que estão dando de mamar pois evita as temidas cólicas dos bebês.

Canela: sou fã incondicional. Acelera o metabolismo, é ótimo para adoçar e ajuda no melhor funcionamento da insulina. Pode ajudar a diminuir cólicas leves e gases, além de dar uma sensação de plenitude gástrica. Grávidas, fiquem longe!

Cavalinha: Se está retendo muito liquido, essa é a solução. A cavalinha ajuda diminuir os inchaços, mas não é aconselhável para pessoas com insuficiência renal ou cardíaca. Outro bom motivo? Tem capacidade remineralizante, por causa da composição química rica em minerais, especialmente silício, o que é excelente para a pele! Mais um benefício? Contém efeitos protetores do fígado, propriedades antioxidantes e ação calmante.

Erva-cidreira: Te deixa de bem com a vida, relaxa o sistema nervoso, favorece o sono e atenua a ansiedade. Não é demais? Bom também para cólicas abdominais e gases.

Hibisco: Além de ser lindo, tem efeito na nossa saúde, já pensou? Antioxidante, previne o envelhecimento das células, é diurético e melhora fluidez sanguínea? É dos deuses mesmo.

Hortelã: Para quem tem desconfortos gástricos e evacuação, essa é a pedida. Erva digestiva e estimulante. Ainda pode atenuar dores de cabeça e dar um freio na ansiedade. Fique de olho, pois não pode ser consumido por quem tem obstrução biliar, doenças de fígado e mulheres que estão amamentando.

Romã: Dá um up na garganta, pois melhora as infecções e reduz inflamação nas cordas vocais. Maravilhoso, assim como a fruta para o sistema reprodutor feminino.

Como fazer?

Todos os chás moles (flores e ervas) devem ser preparados por infusão na proporção de 1 colher de sopa para cada litro de água. Assim: ferva a água e, quando ela atingir o ponto de ebulição, desligue. Acrescente a erva e deixe descansar por alguns minutos. Lembre-se que quanto mais deixar assim, mais forte terá o sabor da bebida.

Já com as ervas duras (cavalinha, por exemplo), o método indicado é a decocção, na mesma proporção das ervas acima. Faça desse jeito: Quando a água ferver, acrescente a erva e deixe em fogo baixo, com o recipiente tampado, por cerca de 5 minutos.

Os chás duram 24 horas, devem ser mantidos em garrafas de vidros e podem ser consumidos gelados! Ah, uma coisa importante que eu já ia me esquecendo. Sempre me perguntam sobre os sachês! Normalmente possuem antifúngico e, por isso, não são tão legais. Dê preferência às ervas frescas ou desidratadas.

------------------------

A aromaterapia na prática.

xA aromaterapia é uma medicina natural baseada no uso de plantas aromáticas com fins terapêuticos. O aroma e a essência extraídos de diferentes plantas medicinais exercem um papel essencial nesta abordagem de cuidados.

Os princípios básicos da aromaterapia
A aromaterapia, como o próprio nome indica, «aroma» + «terapia» , consiste em aproveitar as virtudes curativas dos perfumes difundidos pelas essências das plantas aromáticas (em geral, óleos essenciais). Ela também recorre aos benefícios dos óleos essenciais, vegetais e do hidrolato aromático para tratar algumas doenças. O modo de tratamento de cada planta varia em função do tipo de substância desejada. De acordo com o objetivo do tratamento, os óleos essenciais podem ser utilizados em uso interno, externo, em complexo ou loção.

O complexo é uma mistura de vários óleos essenciais extraídos de diferentes plantas, a loção resulta de uma mistura de óleos essenciais com outros óleos vegetais. Apesar de serem utilizados como medicina alternativa, os óleos essenciais devem ser levados a sério e é preciso consultar um especialista antes de cada tratamento.

Os óleos essenciais (leia o nosso arquivo sobre os óleos essenciais)
Os óleos essenciais são especialmente conhecidos na aromaterapia, são substâncias secretadas diretamente pelas plantas ou obtidas por compressão da planta. De acordo com o tipo de planta, o óleo essencial pode ser obtido a partir das raízes, da casca, dos frutos ou ainda da flor. A quantidade e as virtudes do óleo variam em função da parte da qualele for extraído. Vários métodos podem ser utilizados para obter o óleo essencial contido em uma planta, entre os mais comuns estão a destilação, a extração mecânica, a infusão e a extração por solvente.

Os óleos essenciais das plantas medicinais são o coração da aromateria. Podemos citar alguns exemplos como: o óleo de argânia, que é conhecido por suas virtudes dermatológicas e a hortelã, que é eficaz no alívio dos problemas digestivos. As pessoas que sofrem com distúrbios respiratórios podem tirar proveito dos benefícios de algumas plantas como o limão, o louro ou o alecrim. Em caso de estresse ou ansiedade, o manjericão é indicado por suas virtudes apaziguadoras.

A aromaterapia na prática
Na aromaterapia, a aplicação propriamente dita é feita por três vias: interna, externa e aérea. No primeiro método, o paciente ingere os óleos essenciais misturados com óleo vegetal e mel. A absorção do óleo puro é proibida pois ela pode provocar irritações na região das mucosas. Para um uso melhor, determinados produtos são apresentados em forma de cápsulas prontas para ingerir ou em supositórios. O método externo consiste em penetrar os óleos essenciais através das camadas cutâneas. A aplicação é feita com o auxílio de uma massagem profunda com uma mistura de óleos e ungüento.

Por fim, quando utilizados por via aérea, os óleos essenciais devem ser conduzidos ao sistema respiratório. Anteriormente, a difusão dos óleos essenciais era efetuada com uma cerâmica porosa, porém o rendimento da evaporação do aroma necessário à terapia era fraco. A utilização de uma lâmpada ou uma vela também não é recomendada pois elas podem alterar as virtudes terapêuticas do produto. Os meios mais eficazes de aromaterapia por via aérea são os ventiladores sem filtros e os difusores equipados de um túnel de vento. Com esses dois meios de difusão, as propriedades dos óleos são conservadas e há uma maior cobertura do tratamento.

------------------------

Os benefícios da aromaterapia.

Os benefícios da aromaterapia
As virtudes relaxantes da aromaterapia possibilitam o tratamendo da maioria das doenças provocadas pela ansiedade ou pelo estresse. Aliás, é graças a esta propriedade que a aromaterapia é indicada para aliviar os distúrbios depressivos em pacientes com câncer. Ao mesmo tempo, ela ameniza os sintomas relacionados à demência, como os distúrbios do comportamento. Utilizada por via externa, na massagem do couro cabeludo, ela impede a alopecia areata. Ela pode também aliviar os fenômenos de ferimentos causados pelo prurido.

Método terapêutico de grande eficácia, a aromaterapia também pode acabar com os distúrbios do sono, como a insônia. Fonte de energia e bem-estar, ela dá mais vitalidade às crianças prematuras. Apesar de não haver uma conclusão científica concreta, após terem sido submetidas a um tratamento aromaterápico, várias mulheres testemunharam uma redução dos sintomas relacionados à menopausa.

Contra-indicação da aromaterapia
Apesar do efeito terapêutico dos óleos essenciais não precisar mais ser comprovado, estes podem gerar alguns inconvenientes em caso de má utilização. Devido à sua concentração, os óleos essenciais podem irritar a superfície cutânea, por isso é preciso evitar a aplicação dos óleos essenciais que não foram misturados com um pouco de óleo vegetal. Os óleos essenciais são produtos naturais, mas isso não impede que pessoas sensíveis sofram com alergias após o seu uso.

Em algumas pessoas, os óleos essenciais à base de cetonas desencadeiam distúrbios neurológicos. O mesmo ocorre com os óleos essenciais de alecrim ou cânforas, que podem até mesmo provocar crises de epilepsia. Aplicados sobre apele, alguns óleos essenciais ,sob o efeito da fotosensibilização, deixam a epiderme menos resistente aos raios UV. Por fim, estudos estão sendo feitos para estabelecer se é preciso proibir o uso de óleos essenciais em grávidas e recém-nascidos.

------------------------

Chás medicinais .

Chás medicinais
Os chás terapêuticos são fáceis de preparar e melhoram a digestão, acalmam a mente e diminuem a fadiga. Confira as sugestões
De cultura milenar, a fitoterapia – uso de plantas para tratar doenças – tem se tornado cada vez mais popular no mundo todo. Hoje, os chás medicinais são usados para os mais diferentes fins, como acalmar, cicatrizar machucados, expectorar, emagrecer, combater enxaqueca e artrite, melhorar o sistema digestivo, diminuir a fadiga, a insônia e as dores musculares, e possuem a maior parte de seus benefícios comprovados cientificamente.

"Existe chá para tudo. A grande maioria deles já tem seus princípios ativos, composição e efeitos comprovados cientificamente. É claro que também existem muitos que são apenas crendices populares, por isso, é importante procurar profissionais especializados na área", afirmou Zenaide Barcala Pires, professora da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo (FACIS). "As ervas são a forma mais antiga de se tratar da saúde. Hoje, elas são utilizadas por muitos médicos. No exterior, a fitoterapia é reconhecida merecidamente. No Brasil, por meio de estudos prolongados e sérios feitos em universidades, ela começa a ocupar o seu devido lugar", disse o fitoterapeuta André Resende, escritor dos livros "O poder das ervas" e "Alquimia das ervas".

Cuidados
Apesar da eficiência comprovada, é preciso ter cautela na hora de tomar chás ou iniciar qualquer tipo de tratamento com plantas medicinais, pois a crença popular, às vezes, distorce as coisas e faz muitos acreditarem que, por serem naturais, as plantas não provocam nenhum mal.

"A fitoterapia usada de uma maneira inadequada, sem a orientação de um terapeuta, pode trazer graves conseqüências. Até um simples boldo poderá ocasionar sérios distúrbios. As pessoas pensam que só porque é natural não faz mal. Mas, para um bom resultado, o uso dos chás não pode ser abusivo", afirmou André

Outro cuidado que deve ser tomado é conhecer a procedência dos produtos e sempre adquiri-los em lojas confiáveis, pois a forma incorreta de armazenamento das ervas pode transformá-las em ineficientes e até prejudiciais ao organismo.

"É muito importante não comprar os produtos em barraquinhas ou locais impróprios. As ruas de todo o país estão cheias de ervas com fungos, poluição e sujeiras, que podem trazer danos à saúde", alertou André Resende.

Método convencional
Por melhor que sejam os tratamentos fitoterapêuticos, eles não devem substituir completamente a medicina convencional, a não ser que sejam indicados por um médico. "Não se pode tratar uma doença grave só com fitoterapia. Além disso, é preciso conhecer muito bem as propriedades das ervas, pois existem algumas que não devem ser tomadas com determinados medicamentos", afirmou Zenaide.

Ervas e exercícios
Para os praticantes de atividades físicas, os chás e ervas medicinais mais indicados são o ginseng, a marapuama e o guaraná, que funcionam como estimulantes e trazem mais disposição. Já a marcela do campo e o capim cidreira são ótimos para relaxar e aliviar as dores musculares, comuns após treinos e competições.

"A marcela do campo utilizada como sedativo e trabalha na recuperação de dores e contraturas musculares. Apesar de ser relaxante, ela pode ser utilizada sem problemas após os treinos, pois não vai diminuir a disposição ou deixar a pessoa sonolenta, como alguns medicamentos", disse Zenaide Barcara Pires.

Preparo
Existem diversas maneiras de preparar os chás medicinais, e isto pode afetar diretamente nos benefícios trazidos pelas ervas. Cada planta, ou distúrbio que se quer tratar, exige uma forma de manipulação específica para atingir os efeitos desejados. Também não é indicado que se tome a bebida de um dia para o outro, por isso, deve se fazer a quantidade suficiente para o consumo imediato, ou em no máximo 24 horas.

Infusão
É usada principalmente para preparar as partes mais delicadas das plantas, como as flores, folhas e caules. Coloque as ervas em uma vasilha e despeje água fervendo sobre elas. Tampe e deixe em repouso por dez minutos antes de tomar.

Decoação
Este método é utilizado para o preparo das partes mais duras das plantas, como raízes, sementes e alguns tipos de caule. Coloque as ervas em água fria e leve ao fogo até ferver. Retire a vasilha do fogo e conserve tampada. Depois é só coar e tomar.

Maceração
Deixe as ervas de molho em água fria durante 12 horas. Neste processo, os sais minerais e vitaminas são mais aproveitados.

Confira as propriedades de algumas ervas

Cidreira
Indutora do sono, alivia dores de cabeça e gases intestinais. É indicada para digestão, cólicas menstruais e intestinais, distúrbios renais, conjuntivites, tosse, espasmos, febres, diarréias, reumatismos, histerias, afecções do estômago, nervos e palpitações do coração. É sedativa, analgésica, calmante, diurética, hipotensora, depurativa e expectorante.

Marcela do Campo
É estimulante e contribui para o bom funcionamento do sistema digestivo. Indicada para males do estomago e cólicas intestinais.

Marapuama
É estimulante e combate a fadiga e a depressão nervosa.

Guaraná
Combate o esgotamento físico e mental. Tônico, estimulante e energético. Indicado em estado de debilidade e depressão nervosa. Estimula as funções cerebrais e favorece as funções e atividades intelectuais. Previne a arteriosclerose e artritismo.

Ginseng
É revitalizante, inibidor do crescimento das células cancerígenas e ativa a circulação do sangue. Combate o stress e estimula as funções sexuais.

Boldo
Estimula a digestão, a secreção biliar, os distúrbios intestinais e hepáticos. O chá combate a prisão de ventre, gases intestinais, transtornos do fígado e atua na degradação de gorduras.

Camomila
Desintoxica o fígado, auxilia no tratamento de reumatismo e da excitação nervosa, alivia enxaqueca, dores de dente, insônia, enjôos e é tônico para pele. É antiinflamatório e calmante, utilizado em crises histéricas, depressivas e febres intermitentes.

Cidreira
Indutora do sono, alivia dores de cabeça e gases intestinais. É indicada para digestão, cólicas menstruais e intestinais, distúrbios renais, conjuntivites, tosse, espasmos, febres, diarréias, reumatismos, histerias, afecções do estômago, nervos e palpitações do coração. É sedativa, analgésica, calmante, diurética, hipotensora, depurativa e expectorante.

Carqueja
Indicado para má digestão, cansaço físico, prisão de ventre, gastrite, azia, anemia, fígado, rins, diabetes, inflamações urinárias, próstata, colesterol, gota, gastrite, afecções do baço e angina. Auxilia no processo de desintoxicação e emagrecimento. É revigorante das funções genitais, diurético, antiasmática, antibiótica e depurativa.

Erva Doce
Acalma os nervos, elimina o mau hálito, as toxinas da pele, as cólicas intestinais e do ventre. Estimula o apetite, a digestão e a secreção biliar. Restaura o fluxo menstrual e aumenta o leite das lactantes. Bom contra azia, também utilizado na culinária como aromatizante.

Hortelã
Indicada para o tratamento da febre, vermes, espasmos, gases intestinais, sistema nervoso, inflamações uterinas, resfriado, faringite, tosse, problemas de garganta, coceiras, inchaços, dor de cabeça, rinite, conjuntivite, cólicas, diarréia, problemas estomacais, intestinais e respiratórios. O chá é estimulante digestivo, anti-séptico, descongestionante nasal, anestésico e analgésico.

Chá Preto
Alivia os sintomas da depressão e dor de cabeça. É tônico, energético, estimula os nervos, músculos e cérebro e auxilia no tratamento de obesidade. É o chá mais consumido no mundo.

Canela
É indicado contra ulcerações da gengiva, mucosa da boca, dores estomacais, diarréia, calafrios, tosses, amenorréia, pressão baixa, respiração ofegante, espasmos, escorbuto e reumatismos.

Porangaba
É altamente diurética, não laxativa, elimina o excesso de gordura e edemas. Tem ação tônica sobre a circulação e auxilia no emagrecimento. Auxilia no combate da fadiga, asma, bronquite, diarréias agudas, cólicas intestinais e inflamações renais. Ajuda a diminuir a barriga, estômago alto, pernas inchadas e gorduras localizadas.

Chá Misto de Morango
É depurativo, vermífugo e diurético. Combate as areias da bexiga, retenção da urina e inflamação dos rins. Indicado em casos de azia, diarréia, reumatismo e gota. Contém cálcio, ferro, fósforo e vitamina C.

Chá Misto Sabor Maracujá
É refrescante, sedativo, calmante, diurético, desinfetante, antiinflamatório e depurativo. Indicado para insônia e dores em geral. Combate diabete, asma e diarréia. A raiz e a semente combatem vermes.

Chá Misto Sabor de Cereja
Calmante, vermífugo, elimina cálculos renais e da bílis. È bom para dores reumáticas, nervos, diarréias e regulador do sono. Combate gripes, anginas do peito e afecções da garganta.

Chá de Abacaxi
Auxilia nas doenças respiratórias, dor de garganta, bronquite e previne osteoporose. É expectorante, depurativo, diurético, auxilia a digestão e as funções do fígado.

Chá de Maçã
É tônico, calmante, sonífero e diurético. Possui atividades antibacteriana, antiviral, antiinflamatória, ativa o fígado e dissolve o ácido úrico.

Chá de Frutas Cítricas
Rico em vitamina C, é calmante, contribui para o bom funcionamento do intestino e evita problemas na garganta.

------------------------

Chas

  • cha verde emagrece

    Chas


    Noticia painel seguro