------------------------

Cafeina.

A cafeína é considerada um composto químico, ela é classificada como alcalóide que é uma substância principalmente extraída das plantas e pertence ao grupo das xantinas. A cafeína atua no sistema nervoso central e também causa o aumento da produção de suco gástrico, o que é grave para pessoas com úlcera digestiva. Ela também ativa o estado de alerta, pois bloqueia a recepção da adenosina.

A cafeína mesmo sendo considerada uma droga e também causar dependência química, é a mais consumida no mundo, pois além dela ser encontrada no café é também encontrada em alimentos como o chocolate, guaraná, cola, chá-mate e no cacau. Este composto também pode ser encontrado em analgésicos e inibidores de apetite. A quantidade ideal é considera cerca de 300 mg por dia, ou seja, 2 a 3 xícaras de café ou então 5 a 6 latas de refrigerantes derivados de cafeínas, como os com extrado de cola.

Em excesso a cafeína pode causar agitação, ansiedade, dor de cabeça, insônia, também causa a contração das veias e artérias o que dificulta a circulação sanguínea e acelera os batimentos cardíacos. Para as mulheres grávidas é recomendado que se tome pouco ou até mesmo corte o café, pois pode causar deformações fetais ao bebe.

Porém, além de trazer alguns malefícios à saúde, ela também ajuda no aumento da concentração, melhora o humor, diminui a fadiga, controle de peso e apesar de causar dores de cabeça se consumida em excesso, alguns médicos usam o café como tratamento de enxaqueca, porque ela contrai os vasos sanguíneos que normalmente são os causadores da dor de cabeça. Ela também traz efeitos no sistema respiratório, pois possui um aumento discreto da frequência e intensidade da respiração. Um grande benefício, porém ainda em fase de estudo é que essa substância pode ajudar na doença do Mal de Parkinson, pois ajuda a amenizar a doença ou até mesmo impedi-la de se manifestar. Para as mulheres também tomar pouco antes da menstruação ajuda nos sintomas da TPM. A cafeína possui um grande efeito diurético, o que por sua vez pode causar desidratação com atividades prolongadas.

Uma curiosidade desta substância é que ela é incluída nos regulamentos de doping de todas as federações desportivas, para ser considerada doping a dose deve ser a partir de 12mcg/ml, o que se consegue com a quarta xícara.

Todo produto que contenha a cafeína pode ser consumido, porém sem exagero, dependendo da pessoa pode causar problemas graves a saúde, como qualquer outra droga também pode levar ao vício, onde começa causar os danos a saúde.

------------------------

Cafeína e seus efeitos muscular.

Cafeína e seus efeitos
O efeito demonstrado foi o de aumentar a mobilização de gordura durante
a atividade física, preservando assim os estoques de glicogênio muscular
A cafeína é uma substância encontrada em certas plantas e usada para o consumo em bebidas, tanto na forma de infusão, como em refrigerantes e bebidas energéticas. Ela é também encontrada em alimentos como o chocolate, guaraná, cola, chá-mate e no cacau. O efeito mais conhecido da cafeína é o de ser um estimulante. De fato, esta substância possui a propriedade de atuar no sistema nervoso central aumentando o estado de alerta.

O mecanismo de ação parece estar ligado ao estímulo da produção de dopamina que é um neurotransmissor responsável pela ativação de áreas do cérebro relacionadas à atenção.
Os efeitos fisiológicos da cafeína, não se restringem ao mecanismo estimulante do sistema nervoso. A cafeína tem outros efeitos, e no coração, aumenta os batimentos cardíacos. Em doses muito elevadas pode inclusive causar arritmia cardíaca.
A cafeína é considerada como uma substancia com efeito ergogênico, ou seja, ela pode melhorar o desempenho físico. Este efeito sempre foi atribuído às suas propriedades estimulantes, acreditando-se que os benefícios fossem todos relacionados ao maior nível de atenção e alerta.
Recentemente, alguns estudos mostraram efeitos da cafeína na melhora da tolerância ao exercício prolongado. Neste caso, o mecanismo de ação proposto é outro. O efeito demonstrado foi o de aumentar a mobilização de gordura durante o exercício, preservando os estoques de glicogênio muscular.

------------------------

Cafeína e seus efeitos na saúde.

Cafeína e seus efeitos na saúde
Conheça a cafeína e seus efeitos na saúde humana, produtos com cafeína, ação no sistema nervoso
O que é

A cafeína é um composto químico classificado como alcalóide (substância de caráter básico derivado de plantas que contêm, em sua fórmula, basicamente nitrogênio, oxigênio, hidrogênio e carbono) do grupo das xantinas (substância orgânica, azotada, existente no músculo, na urina, em vários órgãos e em algumas plantas).


Onde é encontrada e efeitos na saúde

Ela se encontra em certas plantas e é usada para o consumo em bebidas, na forma de infusão, como estimulante. É extremamente solúvel em água quente, não tem cheiro e apresenta sabor amargo.

Entre o grupo das xantinas (que incluem a teofilina e a teobromina) a cafeína é a que mais atua sobre o sistema nervoso central. Age também sobre o metabolismo basal e aumenta a produção de suco gástrico.

Mais prejudicial do que muitos imaginam, a cafeína é uma droga psicotrópica (drogas psicotrópicas são substâncias que alteram o funcionamento do sistema nervoso). Ela age em diferentes partes do sistema nervoso.

A cafeína é encontrada no café, chá preto, chá mate, bebidas a base de cola, guaraná e chocolate. Como qualquer substância alcalóide (exemplo: nicotina, teobromina, teofilina, etc) ela cria reações agradáveis no cérebro e, conseqüentemente, este solicitará outras doses.

Ela age no sistema nervoso autônomo como estimulante, produzindo um estado de excitação. Este fato explica porque o café ajuda as pessoas a despertarem pela manhã. Mas assim como ela produz esta sensação de energia e disposição, ela também pode provocar maior irritabilidade e ansiedade em seus usuários.

A cafeína também pode causar dependência física. Muitas pessoas que param de consumi-la podem sentir os sintomas desagradáveis devido ao seu consumo, tais como: fortes dores de cabeça, náuseas e problemas estomacais.

Entretanto, ser dependente de cafeína não significa necessariamente um dano à saúde, pois muitas pessoas vivem uma vida perfeitamente saudável com pequenas doses diárias desta substância. Porém, quando seu consumo é elevado, ela pode aumentar seriamente o nível de estresse diário.

De forma geral, reduzir a ingestão de cafeína é uma atitude bastante benéfica quando estamos atravessando um período estressante, pois, como já vimos acima, ela atua como estimulante, e isso, inevitavelmente, eleva o nível de estresse, que por sua vez, é o desencadeador de uma série de doenças.

------------------------

Por que a cafeína mantém você acordado?

Por que a cafeína mantém você acordado?

A cafeína funciona mudando a química do cérebro. Ela bloqueia a ação natural de um componente químico do cérebro associado ao sono. É assim que funciona.
Se você leu o artigo Como funciona o sono, aprendeu que a substância química adenosina se une a receptores de adenosina no cérebro. Essa junção de adenosina causa sonolência ao diminuir a atividade das células nervosas. No cérebro, a combinação de adenosina também faz com que os vasos sangüíneos se dilatem (presumivelmente para permitir que entre mais oxigênio durante o sono).

A adenosina é produzida pela sua atividade diária. Por exemplo, o artigo Como funciona o exercício físico discute como os músculos produzem adenosina como um dos subprodutos da atividade física.

Para uma célula nervosa, a cafeína se parece com a adenosina. A cafeína, portanto, se combina aos receptores de adenosina. No entanto, ela não diminui a atividade das células da mesma forma. As células não conseguem mais perceber a adenosina porque a cafeína tomou todos os receptores aos quais a adenosina se junta. Então, ao invés de diminuir a atividade por causa do nível de adenosina, as células aumentam sua atividade. Você pode ver que a cafeína também faz com que os vasos sangüíneos do cérebro se contraiam, uma vez que bloqueia a capacidade da adenosina de dilatá-los. Este efeito explica por que alguns medicamentos para dor de cabeça contêm cafeína. Se você tiver uma dor de cabeça vascular, a cafeína vai fechar os vasos sangüíneos e aliviá-la.

Com a cafeína bloqueando a adenosina, aumenta a excitação dos neurônios no cérebro. A hipófise percebe toda essa atividade e pensa que algum tipo de emergência deve estar ocorrendo, então libera hormônios que ordenam que as glândulas supra-renais produzam adrenalina (epinefrina). A adrenalina é, sem dúvida, o hormônio do alerta "lutar ou correr" e tem vários efeitos em seu corpo:

suas pupilas dilatam;
seus tubos respiratórios se abrem (é por isso que algumas pessoas que sofrem ataques graves de asma tomam injeção de epinefrina);
seu coração bate mais rápido;
os vasos sangüíneos na superfície se contraem para diminuir o fluxo de sangue de cortes e aumentar o fluxo para os músculos; a pressão sangüínea aumenta;
o fluxo sangüíneo para o estômago diminui;
o fígado libera açúcar na corrente sangüínea para obter energia extra;
os músculos se enrijecem para se movimentarem.
Isto explica o motivo de, depois de tomar uma xícara grande de café, suas mãos esfriarem, seus músculos se enrijecerem, você fica agitado e pode sentir as batidas de seu coração aumentarem.
A cafeína também aumenta os níveis de dopamina, da mesma forma que as anfetaminas (a heroína e a cocaína também manipulam os níveis de dopamina ao diminuir a taxa de reabsorção dessa substância). A dopamina é um neurotransmissor que ativa o centro de prazer em certas partes do cérebro. É óbvio que o efeito da cafeína é muito menor que o da heroína, mas o mecanismo é o mesmo. Suspeita-se que o efeito da dopamina contribui para a dependência à cafeína.

É compreensível por que o corpo aprecia a cafeína, especialmente se você não deve dormir e precisar ficar em atividade:

a cafeína bloqueia a recepção da adenosina e então você se sente alerta;
ela provoca injeção de adrenalina no sistema para te dar força;
e também manipula a produção de dopamina para que você se sinta bem.
O problema com a cafeína são os efeitos a longo prazo. Por exemplo, quando a adrenalina se acabar, você sentirá fadiga e depressão. Então o que você vai fazer? Vai tomar mais cafeína para que a adrenalina volte. Como você pode imaginar, manter seu corpo em um estado de emergência o dia todo não é muito saudável, e pode fazer com que você fique nervoso e irritado.

O maior problema a longo prazo é o efeito que a cafeína tem no sono. A recepção de adenosina é importante para o sono, especialmente para o sono profundo. A meia-vida da cafeína em seu corpo é cerca de seis horas. Isso quer dizer que se você consome uma xícara grande de café com 200 mg de cafeína às 3 da tarde, então às 9 da noite ainda há cerca de 100 mg de cafeína em seu organismo. Você pode conseguir dormir, mas seu corpo vai provavelmente sentir falta dos benefícios do sono profundo. Este déficit se acumula rapidamente. No dia seguinte você se sente pior, então precisa de cafeína assim que sai da cama. O ciclo continua a cada dia.

É por isso que 90% dos americanos consomem cafeína todos os dias. Uma vez que você entra nesse ciclo, tem que continuar a tomar a droga. E pior ainda, se você tentar parar de usar cafeína, fica cansado, deprimido e com uma dor de cabeça horrível, pois os vasos sangüíneos do cérebro se dilatam. Estes efeitos negativos o forçam a voltar para a cafeína mesmo que você queira parar.

Dizem que um dos motivos de tantos refrigerantes conterem cafeína é para que você fique dependente. Da mesma forma que a dependência de nicotina torna o cigarro um ótimo produto para as empresas tabagista, a cafeína dos refrigerantes de cola ajuda nas suas vendas.

------------------------

Emagrecedores

Emagrecedores

Emagrecedores

  • Bioslim quitosana

  • droga para epilepsia uso emagrecedor

  • Emagrecedor ACELERADOR METABÓLICO

  • Emagrecedor Bio Redux

  • Emagrecedor BLOQUEADOR DE GORDURAS

  • Emagrecedor carulluma

  • Emagrecedor chá verde

  • Emagrecedor CHIA Com OMEGA 3

  • Emagrecedor linolen

  • Emagrecedor MAX BURN GREEN


    Noticia painel seguro