------------------------

ERVA BALEEIRA.

Erva Baleeira (Cordia verbenacea)

Vamos conhecer mais uma planta brasileira que está muito arraigada ao uso popular nas regiões litorâneas do estado de São Paulo. Estamos falando da Erva baleeira, um arbusto nativo da Mata Atlântica, sendo encontrado em praticamente todo litoral de São Paulo. Possui folhas elípticas, medindo até 20 cm de comprimento, de textura muito áspera e com aroma muito diferente, lembrando muito os "temperos em cubinhos" de galinha ou de carne. Pode atingir de 3 a 4 metros de altura e sua inflorescência lembra um pouco a calda de um escorpião. A flor, de cor branca, vai abrindo uma a uma, de tal forma que em uma mesma inflorescência você pode ver desde o botão floral ao fruto já maduro, que normalmente é de coloração avermelhada intensa.

A Erva baleeira já era utilizada pela comunidade caiçara e pelos habitantes da mata de uma forma muito simples e eficiente, porém a comunidade científica praticamente desconhecia todo aquele potencial, até que ocorreu um fato muito interessante. Em um belo dia de sol, um pesquisador de uma universidade de São Paulo estava em uma praia no litoral paulista, tomando sua cervejinha e comendo uns peixinhos fritos, quando começou a reparar um pescador que estava limpando seus peixes ao lado do barzinho. Neste momento, o pescador se feriu com a faca e, largando o peixe, lavou bem as mãos e se dirigiu ao lado pegando umas folhas de uma planta e, amassando bem, pingou algumas gotas de seu sumo no ferimento. O professor intrigado foi até o pescador e perguntou o que ele estava fazendo. Com sua simplicidade ele comentou que aquela planta era a Erva Baleeira e que ele estava usando-a para limpar o ferimento e ajudar a cicatrizar.

Movido pela curiosidade científica, este professor coletou alguns ramos desta planta e levou para a correta identificação botânica e iniciou vários estudos químicos e farmacológicos. Os resultados começaram a sair algum tempo depois, e aos poucos foi confirmando praticamente todas as atividades. Mais uma vez a ciência confirma grande parte dos conhecimentos populares.

Mas para que podemos utilizar a Erva baleeira? Ou melhor, quais são suas atividades terapêuticas?

Bem, possui uma ação anti-inflamatória muito potente, além de ação anti-séptica e cicatrizante. Desta forma esta planta pode ser e já está sendo utilizada como um excelente cicatrizante externo para ferimentos e cortes de forma geral, na forma de pomada, creme, banhar o local com seu chá ou preparar um cataplasma. Internamente pode ser empregada na forma de cápsula, chá ou extrato fluido para úlceras e gastrites com resultados muito positivos. Não recomendamos a tintura, pois devido ao seu teor alcoólico elevado pode provocar irritação gástrica mais elevada.

A Erva baleeira pode ser encontrada em farmácias de manipulação ou nas matas da Serra do Mar. Não temos informação de sua presença em nossa região. Nos resquícios de Mata Atlântica ainda podemos encontrá-la em algumas propriedades.

------------------------

Erva baleeira, salicina, maria milagrosa.

Erva baleeira, salicina, maria milagrosa, catinga preta, baleeira-cambará, camaradinha, caraminha, caramoneira do brejo ou, em inglês, black sage. Como saber o porquê desses nomes ou quem primeiro teve a idéia de colocar esta erva numa garrafa com medidas iguais de água e álcool, deixar descansar por sete dias e depois esfregar a infusão em partes doloridas do corpo? "Ainda há muita sabedoria popular mascarada. Talvez os povos antigos tivessem um sentido mais apurado para as plantas aromáticas", especulava o pesquisador Pedro Melillo de Magalhães, enquanto uma colheitadeira cortava os ramos de Cordia verbenaceae em parte dos 12 hectares cultivados no Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA) da Unicamp, próximo a Paulínia.
Planta é natural da Mata Atlântica

A erva baleeira colhida no CPQBA é matéria-prima para o primeiro antiinflamatório feito a partir do extrato de uma planta nativa brasileira, em forma de creme, que estará no mercado ainda neste semestre. Quis o destino que o diretor-presidente de um grande laboratório, vitimado por dores musculares em partidas de futebol na praia, sentisse na pele o alívio imediato proporcionado pela infusão caseira oferecida pelos caiçaras. "Um dos fundadores do Aché, ele [Victor Siaulys] insistiu em produzir um medicamento a partir da erva baleeira, contratando para isso vários grupos de pesquisa. A Unicamp foi envolvida porque nós já vínhamos estudando a planta pelo aspecto agronômico e era preciso garantir o cultivo da matéria-prima em escala e padrão necessários para atender à demanda de produção", explica Pedro Magalhães, que coordena a Divisão de Agrotecnologia do CPQBA.
Em 2001, pesquisadores descobriram que um dos princípios ativos da erva baleeira responsável pela ação antiinflamatória não era a artemetina, como descrevia a literatura, mas um componente do óleo essencial, o alfa-humuleno. Testes clínicos junto a centenas de pacientes mostraram que o creme (de nome comercial Acheflan) é tão eficaz para casos de dores musculares quanto o principal antiinflamatório do mercado. Estudos comparativos demonstraram, ainda, que o creme de erva baleeira apresenta menos efeitos colaterais, como vermelhidão na pele. O laboratório já estuda com boas perspectivas o uso do óleo essencial também em forma de comprimido.

------------------------

Erva baleeira antiinflamatório natural.

Erva-baleeira: antiinflamatório natural
A erva-baleeira (Cordia verbenacea), também conhecida como maria-milagrosa, baleeira, maria-preta, salicina, pimenteira e catinga-de-barão, atua contra artrite, reumatismo, artrose, contusões, úlcera e em todo tipo de inflamação. Seus poderes como cicatrizante e antiinflamatória fizeram a fama dessa planta.

É usada na forma de pomada, extrato ou folhas maceradas para curar ferimentos. Em algumas regiões do Brasil, as folhas da erva-baleeira são cozidas e aplicadas sobre feridas para acelerar a cicatrização. A erva-baleeira também é usada na forma de bochechos para aliviar dor de dente e tratar inflamações bucais.

------------------------

ERVA BALEEIRA Cordia verbenacea.

ERVA BALEEIRA - Cordia verbenacea
Cordia verbenacea, popularmente chamada de Erva baleeira, é um arbusto perene, nativo de nosso país, pode alcançar até 2 metros de altura e é encontrado em todo o litoral brasileiro, principalmente em Santa Catarina. A Erva baleeira também é conhecida como Maria-preta, Maria-milagrosa, Catinga de barão ou Pimenteira. Seus poderes como cicatrizante e antiinflamatório é que fizeram a fama desta planta. Em algumas regiões, as folhas da Erva baleeira são cozidas e aplicadas sobre feridas para acelerar a cicatrização.

INDICAÇÃO: Reumatismo, úlceras e gastrites, artrite, dores musculares e nevralgias, contusões e em todo tipo de inflamações (possui uma ação antiinflamatória muito potente), anti-séptica e cicatrizante.

COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa de erva para um litro de água, quando a água alcançar fervura, desligue. Tampe e deixe a solução abafada por cerca de 10 minutos. Em seguida, é só coar e beber.

COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia.
* Aplicar em forma de cataplasma em contusões, golpes, hematomas, dores musculares.

------------------------

Suplementos

  • RIPP ABS

    Suplementos


    Noticia painel seguro