------------------------

Farinha de Arroz.

Conheça os benefícios de nove tipos de farinha
Deixe sua refeição mais saudável com variedades à base de berinjela ou aveia
Comum no preparo de pães, bolos e massas, em geral, a farinha vem ganhando destaque no equilíbrio da dieta. O alimento, obtido pela moagem da parte comestível de vegetais e/ou frutas, atua na prevenção de diversas doenças e ainda fornece vitaminas e minerais essenciais para o bom funcionamento do organismo. Os tipos variam desde as versões tradicionais, como a de trigo, até outras menos conhecidas, como a de maracujá e a de arroz. Para conhecer os benefícios dos diferentes tipos de farinha, o Minha Vida conversou com especialistas e elencou nove opções para incluir no seu cardápio. Confira.
Farinha de trigo
A farinha de trigo branca é fonte de carboidratos e, se o farelo (estrutura que recobre a semente) não for desprezado no preparo, também de vitaminas do complexo B, zinco e potássio. "Essas vitaminas dão energia e vitalidade ao sistema nervoso central, enquanto que o zinco fortalece o sistema imunológico e o potássio auxilia na hidratação dos tecidos do corpo", explica a nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional. Ela recomenda, entretanto, que seja dada prioridade à versão integral, mais saudável e fonte de fibras. Lembre-se de que a farinha de trigo branca deve ser evitada por pessoas com doença celíaca ou intolerantes ao glúten.

------------------------

AS FARINHAS SEM GLÚTEN.

AS FARINHAS SEM GLÚTEN
O que é o glúten?

O glúten é uma proteína que se encontra no trigo, aveia, centeio, cevada e malte. O trigo é a maior e mais consumida fonte de glúten representando 80% das suas proteínas e é composta de gliadina e glutenina. O glúten é responsável pela elasticidade da massas a base de farinha, o que permite sua fermentação, assim como a consistência elástica esponjosa dos pães e bolos.

Como não consumir glúten?

Todos os alimentos que contenham trigo, aveia, centeio, malte e cevada devem ser eliminados da dieta, assim como os seus derivados: farelos, farinhas, gérmen e alimentos que tem descriminação no rótulo de: Contém glúten.

Todas as receitas deste blog são sem glúten.
Para preparar alimentos sem glúten, você pode utilizar as seguintes farinhas:

Amido de Milho:

O amido de milho tem consistência gelatinosa e delicada, de sabor neutro, sendo por isso, incluído em receitas de molhos, cremes e mingaus. Ao ser levado ao fogo, deve ser mexido continuamente para evitar a formação de grumos e sofrer ação lenta do calor. É a nossa popular Maizena, encontrada em qualquer supermercado ou mercearia.

------------------------

Farinha de Arroz URBANO.

Farinha de Arroz URBANO
Quantidade por porção VD*
Informação Nutricional
Porção de 50g
Valor Energético 179kcal 9
Carboidratos 39g 13
Proteínas 4,1g 5
Gorduras totais 0,7g 1
Gorduras saturadas 0,5g 2
Gorduras Trans 0g **
Fibra alimentar 0g 0
Sódio 0mg 0
(*) Valores Diários de Referência com base em uma dieta de 2.000 calorias ou 8.400 Kj.
(**) Valor Não Estabelecido.

------------------------

tipos FARINHA DE ARROZ

FARINHA DE ARROZ
Você sabia que existem três tipos de farinha de arroz?

Os tipos básicos de farinha de arroz têm as seguintes características:

1 – Farinha de arroz comum ou crua – Que é a farinha obtida pela moagem pura e simples de grãos quebrados de arroz.

2 – Farinha de arroz estabilizada – É a farinha feita a partir de grãos quebrados de arroz recém beneficiado. Esta farinha passa por um processo térmico onde é processada a estabilização enzimática da mesma. É a farinha que a Nestle utiliza em seus produtos.

3 – Farinha de arroz pré-gelatinizada ou pré-cozida – É a farinha produzida a partir de grãos quebrados de arroz que sofrem processo de extrusão ou tratamento infravermelho que provoca a pré-gelatinização do amido. Esta farinha é utilizada como espessante e melhorador de aparência e textura de muitos alimentos como por exemplo molhos, sopas enlatadas, recheio de tortas etc., sendo favorecida por seu sabor neutro e aparência clara.

Existe ainda no Japão um processo de moagem ultra fina que gera a chamada farinha de arroz solúvel. Um processo de lecitinação pode tornar a solução água/farinha de arroz estável.

A farinha de arroz é excelente como carga em diversos alimentos por ter sabor suave, quase imperceptível.

O preço final de cada farinha esta na proporção do grau de processamento que a mesma passa, ou seja, uma farinha crua é mais barata que a farinha estabilizada e esta mais barata que a farinha pré-gelatinizada.

Esta proporção é valida também em relação ao investimento necessário a uma planta industrial.

Da farinha de arroz se pode partir para produtos de maior valor agregado, como uma farinha hiper protéica de arroz, leite de arroz, glucose , sobremesas como pudins, cremes etc.

Pode-se partir para bebidas a base de arroz, como temos hoje bebidas a base de soja. Um produto valioso para quem tem problemas com lactose (açúcar do leite) e muito tradicional em vários países. É mais um produto para linhas de sucos e bebidas lácteas.

O processo se caracteriza pelo recebimento e limpeza dos grãos quebrados ou inteiros de arroz. Estes deve ter sido beneficiados no dia para manter sua qualidade. A presença de cascas, outras sementes ou impurezas desclassifica a farinha como um produto de boa qualidade para consumo humano. (Pontos pretos)
Para a produção de farinha de arroz pré gelatinizada, ou pré cozida, devemos passar os grãos por um processo de extrusão controlada. Este processo inicial é o mesmo utilizado para obtenção de farinha de rosca ou Breadings.

------------------------

Suplementos

  • RIPP ABS

    Suplementos


    Noticia painel seguro