------------------------

Leuthor L Leucine.

Leuthor L-Leucine 90Caps

É um suplemento em cápsulas que fornece uma dose natural de 850mg de Leucina.
A Leucina é um dos aminoácidos essenciais que o organismo não produz e deve ser obtido via alimentação.
Os BCAA's representam aproximadamente um terço do total de aminoácidos presentes na musculatura, e a leucina é um dos BCAA's, que favorece a síntese protéica, sendo portanto fundamental para a recuperação e ganho muscular.
A Leucina também desempenha funções importantes como fonte de energia durante os exercícios, aumentando a resistência e reduzindo a fadiga.
É o aminoácido que tem o maior impacto na síntese protéica, sendo o grande sinalizador.
Atualmente, a suplementação de leucina deixou de ser considerada apenas uma estratégia de oferta de aminoácidos essenciais ramificados. Tal designação deve-se aos potentes efeitos que a suplementação isolada de leucina é capaz de exercer sobre sistemas de síntese e degradação protéica muscular.
Pesquisas demonstraram que a suplementação de leucina, é capaz de estimular a síntese protéica, através da proteína cinase mTOR. Uma vez induzida pela leucina, a ativação da mTOR culmina com o aumento da síntese protéica.
A leucina age diretamente no citosol (citoplasma) das células, ativando o fator de transcrição mTOR (Mammalian Target of Rapamycin). O mTOR leva informação ao núcleo celular para dar início ao processo de síntese protéica a partir da transcrição do DNA.
Além disso, a Leucina age em sinergia com a insulina, que é um hormônio anabólico, no processo de estímulo de síntese protéica. A leucina auxilia a insulina a iniciar a síntese protéica, ou seja, a insulina é o ativador para a síntese e a leucina é o sinal para início do processo.

------------------------

Leucina abreviado como Leu ou L.

Leucina (abreviado como Leu ou L ), [ 2 ] é uma cadeia ramificada α- aminoácido com a fórmula química: HO 2 CCH (NH 2 ) CH 2 CH (CH 3 ) 2 . A leucina é classificada como uma hidrofóbica de aminoácidos, devido à sua alifático isobutilo cadeia lateral. É codificado por seis codões (UUA, UUG, CUU, CUC, CUA, CUG e) e é um dos principais componentes das subunidades em ferritina , astacin e outros "tampão" de proteínas . A leucina é um aminoácido essencial , o que significa que o corpo humano não pode sintetizar-la, e, portanto, devem ser ingeridos.
Como um aminoácido essencial, leucina não pode ser sintetizada pelos animais. Por conseguinte, deve ser ingerida, geralmente como um componente de proteínas. Em plantas e microorganismos, a leucina é sintetizado a partir de ácido pirúvico através de uma série de enzimas: [ 3 ]
Acetolactato sintase
Ácido acetohidróxi isomero reductase
Dihydroxyacid desidratase
α-isopropilmalato sintase
α-isopropilmalato isomerase
Leucina aminotransferase
Síntese do pequeno aminoácido hidrófobo Valina também inclui a parte inicial desta via.

------------------------

A leucina é um dos aminoácidos codificados.

A leucina é um dos aminoácidos codificados pelo código genético, sendo portanto um dos componentes das proteínas dos seres vivos.
A leucina é um dos 20 aminoácidos que as células do corpo humano utilizam para sintetizar proteínas, porém o mesmo não o produz. Desempenha funções importantes no aumento das proteínas e atua com fonte de energia durante os exercícios físicos, aumentando a resistência e reduzindo a fadiga. É integrante da cadeia ramificada, juntamente com a isoleucina e a valina, é encontrado de maneira abundante em carnes e leguminosas (soja e feijão), com uma concentração média de 1g/100g e de 3g/100g, respectivamente.
Uma maior presença de leucina na alimentação contribui para reduzir a perda da massa muscular durante a velhice, segundo um estudo divulgado pelo Instituto Nacional francês de Pesquisa Agronômica (Inra) em seu site na internet. Essa é a conclusão de uma equipe de pesquisadores da unidade de Alimentação Humana do Inra, após efetuar um estudo em ratos.
A partir dos 40 anos, o equilíbrio interno - que mantém estável a produção de proteínas musculares e sua constante destruição - é desfeito, o que conduz a um desaparecimento progressivo de massa muscular da ordem de 0,5% a 2% a cada ano.
Esse processo, denominado sarcopenia, é responsável pela redução da mobilidade e da autonomia entre os idosos.
Os resultados do estudo do Inra nos ratos sugerem, segundo seus autores, que um complemento alimentar a base de leucina ou o consumo regular de alimentos ricos nesse aminoácido, como os produtos lácteos, pode ter um efeito positivo na manutenção da massa muscular.

------------------------

A suplementação exagerada de L-Leucina.

A suplementação exagerada de L-Leucina NÃO é eficaz na síntese proteica
Estudos de 2012 mostram que a suplementação em excesso da L-Leucina não é eficaz na síntese protéica.

Os aminoácidos, constituídos de elementos químicos orgânicos, representam grande parte do que conhecemos por "vida". Eles são os responsáveis pela existência das proteínas, visto que, através do que conhecemos como "ligação peptídica", ou seja, ligações entre aminoácidos, em diversas formas, conformações, formatos de cadeia, combinações e outros fatores formam-se as proteínas que, efetivamente desempenharão basicamente todos os processos biológicos que conhecemos.

uso exagerado de l leucina nao eficaz A suplementação exagerada de L Leucina NÃO é eficaz na síntese proteica

Entre as inúmeras classificações dos aminoácidos, referente ao seu nível de acidez (pH), sua solubilidade em água, sua polaridade, e outras tantas características, uma das que são mais conhecidas e mais importantes para nós humanos, na prática é a referente a produção de aminoácidos por nossa própria conta e/ou a dependência de alguns eles vindos de meio exógeno, visto a nossa incapacidade em produzí-los. Assim, aminoácidos podem também ser classificados como essenciais ou não-essenciais, sendo os essenciais, necessários de consumo exógeno e os não-essenciais, não necessariamente (apesar de ingerirmos boas quantidades dos mesmos, o que, por hora é também necessário, olhando o processo como um todo).

Entre os aminoácidos essenciais, encontram-se os de cadeia ramificada ou o que conhecemos como BCAAs que são formados pela L-Valina, L-Isoleucina e, o mais importante deles, a L-Leucina, uma das principais responsáveis pela sinalização de síntese protéica no corpo. Os aminoácidos de cadeia ramificada, possuem inúmeras funções, mas, as que podem receber destaque é sua capacidade em fornecimento de energia ao músculo, são sinalizadores metabólicos, como dito anteriormente e são ótimos substratos energéticos durante a atividade física, principalmente. Mas espere! Anteriormente, disse eu, "síntese protéica através da L-Leucina?" Então, devemos passar a ingerir quantidades extras desse aminoácido para, de alguma forma conseguir uma maior síntese proteica e, consequentemente um melhor desenvolvimento na massa muscular magra? Até alguns poucos (menos de 5) anos atrás, isso era tido como uma verdade e, mesmo hoje ainda é tido como verdade e, por muitos céticos ultrapassados, irrefutável e absoluta!

Entretanto, neste ano de 2012, em um dos jornais mais respeitados no mundo científico, o da "Nutrition & Metabolism", publicou-se um longo estudo de revisão com inúmeros artigos de pesquisadores, o quais NÃO COMPROVAM a eficácia da suplementação extra com L-Leucina em relação à síntese protéica e, tampouco protéica muscular. Katsanos e alguns colegas em 2006, publicaram na "Physiology Endocrinology Metabolism", por exemplo, que 6.7g misturados de BCAAs, sendo 26% só de L-Leucina não aumentaram a síntese protéica em senhores de idade praticantes de atividades físicas. Entretanto, em jovens, aumentou em 41%. Logo, a L-Leucina não poderia estar correlacionada necessariamente e unicamente com a síntese protéica, levando-os a acreditar que o consumo e o ratio total do consumo protéico na dieta era muito mais influente do que a suplementação de aminoácidos essenciais em si. Ao decorrer de 2009, Verhoeven e colegas, examinaram por um período relativamente longo, de 12 semanas, a suplementação protéica de L-Leucina em senhores de idade, sendo que, isto também não obteve bons proveitos relacionados com a L-Leucina, seja em aumento da massa muscular ou aumento de força. Isso porque, foram adicionadas altas quantidades de L-Leucina nas refeições (7,5g/dia).

Dica rápida – A suplementação com L-Leucina
Saiba mais sobre Aminoácidos
O tipo de proteína e o tempo de sua digestão, interferem na força e hipertrofia?
Albumina: Como usar, efeitos e o que! Tudo sobre albumina!
Pós-treino com whey protein ou blend de proteínas?

------------------------

Suplementos

  • RIPP ABS

    Suplementos


    Noticia painel seguro