------------------------

MEL COM PRÓPOLIS.

Mel e própolis contra dor de garganta
Receita caseira tem benefícios comprovados, mas requer cuidado para evitar complicações
A fama de mocinho pode não ser inteiramente verdadeira para a combinação mel e própolis contra dor de garganta. Eles realmente têm propriedades benéficas, mas se usados de maneira inadequada, o efeito será inverso.

O mel tem propriedade mucolítica. Isso significa que ele dissolve o muco das vias respiratórias e ajuda na expectoração. Em pessoas com dor de garganta, a formação de muco provoca tosse, o que agrava a dor e a inflamação.

Além disso, o mel é considerado um anti-inflamatório poderoso. Ele carrega uma enzima chamada glicose-oxidase, que forma pequenas quantidades de peróxido de hidrogênio (potente antiséptico) no açúcar do alimento. Isso confere ao mel a capacidade de inibir inflamações e de reconstruir novos tecidos na região da garganta.
Mas não exagere da dose. Não é difícil o mel irritar o estômago e causar refluxo", afirma a alergista e otorrinolaringologista Mônica Menon-Miyake, dos hospitais Sírio Libanês e Prof. Edmundo Vasconcelos. O refluxo frequentemente provoca irritação na garganta e pode facilmente agravar dores já existentes. E se a pessoa combinar o mel com limão, o risco pode ainda ser maior porque limão é uma fruta cítrica, muito ácida.

O própolis é outro anti-inflamatório importante, comumente comercializado junto ao mel. "O problema é que o própolis requer álcool para se manter conservado. E álcool aumenta a irritação na garganta", alerta a médica. Ela comenta que estão começando a surgir fórmulas livres de álcool, mas a eficácia delas na conservação do própolis ainda está sendo aperfeiçoada.
Por conta dos fatores acima, a médica recomenda sempre uma visita ao consultório de um especialista, no caso de dor na garganta. Ela poderá avaliar a origem do problema, se é viral ou bacteriano, e adotar a melhor estratégia de tratamento. Isso não descarta o uso das fórmulas caseiras, mas é melhor fazê-las sob orientação, para não errar na dose. E, no caso da pessoa já ter refluxo gástrico, o tratamento deverá ser exclusivamente medicamentoso.

------------------------

Geleia real, mel e própolis aumentam a imunidade contra doenças.

Geleia real, mel e própolis aumentam a imunidade contra doenças
Veja como cuidar da saúde com produtos produzidos pelas abelhas
Com a chegada do outono e a queda da temperatura, começa também a preocupação com as indesejadas gripes, viroses e infecções que costumam ser frequentes nessa época do ano. No inverno, por exemplo, o sistema imunológico fica ainda mais vulnerável, aumentando as chances de sermos pegos por essas enfermidades. Nessa época a abelha pode ser uma grande aliada! Como? Os produtos apícolas, como mel, própolis e geleia real, ajudam a combater alguns problemas de saúde típicos do período frio. Veja o que cada um desses produtos pode fazer por você.
Geleia Real
A secreção, produzida pelo organismo da abelha, é rica em proteínas, vitaminas, minerais antioxidantes e gorduras boas. Além disso, a geleia tem ação anti-inflamatória. Segundo a nutricionista da rede Mundo Verde Thais Souza, a geleia real é usada como complemento alimentar e indicada para melhorar o funcionamento do organismo, porque diminui o cansaço físico e mental, melhora o apetite, fortalece o sistema imunológico e reduz os níveis de colesterol. Pode ser encontrada em cápsulas ou in natura.

Pólen
Rico em proteínas, aminoácidos essenciais e vitaminas A, C e E, o pólen é um pequeno grão que ajuda na formação de anticorpos, reparação do tecido muscular e combate ao envelhecimento. O grão contém ainda cálcio, magnésio e fósforo, minerais fundamentais para a saúde dos ossos e dos dentes. O pólen pode ser consumido puro ou adicionado em alimentos, como sucos, iogurtes, saladas e bolos.

------------------------

TODOS OS BENEFÍCIOS DO MEL E PRÓPOLIS.

TODOS OS BENEFÍCIOS DO MEL E PRÓPOLIS
Provavelmente você já ouviu falar que um pouco de mel misturado ao chá ajuda no combate à gripe. Pois muitas pessoas preparam esta receita caseira quando estão com gripe, resfriado e com tosse. Mas, por que o mel de abelha pode ser considerado um remédio caseiro?
Em primeiro lugar porque o mel é altamente nutritivo, pois possui diversas propriedades que fazem bem à nossa saúde. Chamado de néctar dos deuses, o mel é o alimento mais antigo e universal do planeta, sendo considerado um alimento sagrado desde a antiguidade tendo sido, inclusive, associado à fertilidade e à longevidade. Além de ser um alimento saudável, o mel era utilizado por civilizações antigas como medicamento natural para evitar infecções e combater bactérias. Já as mulheres gregas utilizavam o mel como um hidratante para a pele (uma forma de ajudar na proteção do corpo contra o envelhecimento precoce) e para os cabelos.

Fonte natural de carboidratos, o mel ajuda a melhorar o desempenho físico e a reduzir a fadiga dos músculos dos atletas. Vale lembrar que o mel é um alimento e, por isso, pode ser misturado, por exemplo, ao iogurte, à salada de frutas e à granola. E que tal substituir a manteiga ou margarina e comer pão com mel? Mais natural e nutritivo impossível.

O mel também é uma excelente alternativa para substituir o açúcar e o adoçante, pois tem menos calorias. Enquanto que uma colher de sopa de açúcar tem cerca de 40 calorias, a mesma medida de mel apresenta 25 calorias – e adoça muito mais. Por isso, quando for tomar chá ou café experimente colocar um pouco de mel ao invés de açúcar. No entanto, por causa da grande quantidade de carboidratos, como a sacarose, o mel não deve ser consumido por diabéticos.

Outro benefício para a saúde é que, segundo os nutricionistas, o mel pode ajudar na dieta do emagrecimento, já que a frutose e a sacarose presentes neste alimento são de mais fácil digestão pelo organismo se comparado com o açúcar e o adoçante.
O mel tem ainda relação com o surgimento do termo lua de mel. Segundo uma das muitas versões existentes, os povos germânicos se casavam na lua nova e, durante um mês inteiro, os noivos bebiam ao luar uma mistura de água e mel para terem sorte.

Outra versão afirma que na Roma Antiga o homem apaixonado capturava a mulher, muitas vezes sem o consentimento da futura noiva. Então, durante um mês, ele a mantinha escondida, a partir da semana da lua cheia. Durante este período, o casal bebia uma mistura afrodisíaca, adocicada com muito mel, até que a mulher se rendesse à paixão de seu futuro noivo.

------------------------

Própolis assume funções de remédio natural multiuso.

Própolis assume funções de remédio natural multiuso
Flavonoides e aminoácidos são os principais responsáveis por sua ação benéfica a saúde
O ditado popular já dizia: a própolis é um santo remédio. Mas será que o remedinho receitado pela vovó funciona de fato? Produzida pelas abelhas, ela resulta da mistura de substâncias colhidas do pólen e das árvores com as secreções da própria abelha.

A combinação dá origem ao produto, que é rico em aminoácidos, vitaminas e bioflavonoides, tornando a própolis um poderoso antioxidante com ação antibiótica. "Seu uso tem indicações específicas que devem ser respeitadas", explica o zootecnista Sílvio Lengler, professor de apicultura da UFSM (Universidade de Santa Maria, RS).

Composição química da própolis
Resinas e bálsamos aromáticos: 50%
Ceras: 25 a 35%
Óleos essenciais: 10%
Grãos de Pólen: 5%
Minerais: alumínio, cálcio, estrôncio, ferro, magnésio, silício, titânio, bromo e zinco.
Vitaminas: pró-vitaminas A e todas do complexo B.
Flavonoides: Ésteres cafeinados.

Benefícios para a saúde

Ação antibacteriana: a própolis é popularmente conhecida como sendo um antibiótico natural. A grande vantagem de seu uso em relação aos antibióticos comuns é que ela destrói as bactérias nocivas, preservando as benéficas, como é o caso das bactérias da flora intestinal.

Alguns estudos apontam que as bactérias não criam resistência à própolis, como acontece com os antibióticos sintéticos, impedindo que estas se tornem mais nocivas, perigosas e resistentes.
ntiviral: é uma poderosa aliada no combate dos vírus do herpes e da gripe. Também previne o aparecimento de constipações, pneumonias, resfriados e doenças do aparelho respiratório.

"A Universidade Federal de Santa Catarina realizou recentemente um etudo confirmando a ação broncodilatadora e analgésica da própolis", explica o epecialista.

"Conclui-se que a própolis pode ser usada tanto na prevenção como no tratamento da gripe, asmas, bronquites e resfriados. Seu uso já é consagrado no tratamento de sinusites, amidalites e renites", continua.
Antifúngica: sua ação estende-se ainda a fungos, como a Candida albicans, responsável por infecções vaginais, bucais e no sistema digestivo. "A própolis também tem ação antimicótica, atuando sobre alguns fungos e leveduras, principalmente micoses e coceiras no corpo, fungo de unha e dermatite seborreica. Nestes casos, utiliza-se xampus à base de própolis, pomadas e extrato de própolis", explica o zootecnista.
Função imunoestimulante: estudos científicos também apontam o benéfico da própolis para o fortalecimento do sistema imunológico. O fato de estimular as células imunológicas torna a própolis um potente agente anti-infeccioso. "Ela estimula a produção de células produtoras de anticorpos e globulinas, importantes para pacientes com baixa resistência", diz Sílvio.

Combate os radicais livres: além de possuir ação antioxidante, que bloqueiam a ação dos radicais livres sobre as células saudáveis, a própolis preserva a ação da vitamina C, um potente antioxidante antienvelhecimento.

Função cicatrizante e regeneradora dos tecidos: a presença de flavonoides e aminoácidos, considerados regeneradores dos tecidos, torna a própolis eficaz no tratamento de dermatites, feridas, úlceras e queimaduras. "Sabe-se que a maioria das úlceras gástricas são causadas pelo bacilo Heliobacter pilori, que é altamente sensível à própolis. Isso justifica o seu emprego no tratamento de infecções gástricas", explica o apicurista.
Alívio de dores: sua função anestésica faz da própolis um excelente suplemento no combate de amidalites, dores de garganta, dor de dentes, entre outras.

Indicações para utilização da própolis
- Em doenças inflamatórias superficiais, como estomatite, amidalite, gengivite, piorreia alveolar, hemorróidas. No caso de estomatite e inflamações da garganta, o extrato alcoólico traz melhores resultados, uma vez que cria uma película protetora no local onde foi passado;

- Também é indicada para evitar a fadiga, melhorar as ulcerações e inflamações e amenizar os sintomas do reumatismo, do diabetes e da hipertensão;

- Fortalecimento da ação imunológica pela ação de linfócitos, estimulação do organismo enfraquecido, redução dos efeitos colaterais de anti-cancerígenos e radioterapia;

- Prevenção e tratamento de pneumonia crônica e bronquite infantil;

- Tratamento de queimaduras graves e efeitos sobre doenças dermatológicas.

Contra-indicações

Mesmo com tantos benefícios a própolis deve ser usada com cautela: "devemos lembrar que a própolis não é um remédio milagroso para todos os males e, em função de suas propriedades, deve ser utilizada com cautela e só quando necessário", explica.

Também há a dose correta para evitar intoxicações. "Mais de 60 gotas por dia da própolis é considerada uma dose elevada."
A própolis para uso oral deve ser preparada sempre por laboratório e apresenta-se usualmente na forma de extratos, spray bucal, pastilhas, balas, suspensão, xaropes, comprimidos e em gotas. A substância jamais deve ser manipulada em casa.

Uso cosmético
Existe uma infinidade de cosméticos à base de própolis, como xampus, cremes faciais e outros. Embora muito eficientes no tratamento de problemas como a caspa, acnes e alergias, devem ser usados somente diante prescrição médica. "Muita gente acha que os cremes e xampus são de uso cosmético e podem ser usados livremente, mas acabam se intoxicando ou intensificando o problema", finaliza o zootecnista.

------------------------

Suplementos

  • RIPP ABS

    Suplementos


    Noticia painel seguro