------------------------

Mucuna Pruriens.

SINONÍMIAS: velvet bean, Mucuna, nescafé, pó de mico, fava-coceira, cabeca-de-frade, cowage, cowhage, cow-itch, bengal bean, mauritius bean, itchy bean, krame, picapica, chiporro, buffalo bean
CAS Nº: 90064-10-1
FAMÍLIA: Fabaceae
SUBFAMÍLIA: Faboideae
REINO: Plantae
DIVISÃO: Magnoliophyta
CLASSE: Magnoliopsida
ORDEM: Fabales
TRIBO: Phaseolae
GÊNERO: Mucuna
ESPÉCIE: M.Pruriens
Mucunina e mucunadine são os principais constituíntes. Seus componentes de princípio são L-DOPA e os alcalóides bioativos mucunine, mucunadina, mucuadinina, prurienina e nicotina como também b-sitosterol, glutationa, lecina, óleos, ácidos venólico e gálico. O L-Dopa é um precursor neurotransmissor, uma droga efetiva para alívio na doença de Parkinson. A semente é um profilático contra oligosperma e é útil no aumento da contagem de esperma, ovulação em mulheres, etc.

DESCRIÇÃO:
Planta proveniente da Índia, reconhecida pelas suas propriedades afrodisíacas. Estimula também a deposição de proteínas nos músculos e aumenta a força e a massa muscular. Aumenta os níveis de L-Dopa, um inibidor da somatostatina. O seu extrato é também conhecido por estimular o estado de alerta e melhorar a coordenação.

INDICAÇÕE/BENEFÍCIOS:
1. Para doença de Parkinson (contém L-dopa natural).
2. Para impotência e disfunção erétil.
3. Como afrodisíaco e para aumentar a testosterona.
4. Como anabólico e androgênio, fortalecendo os músculos e ajudando a estimular o hormônio do crescimento.
5. Ajudando na perda de peso.

Ayurveda é sem dúvida o sistema mais antigo de medicina no mundo - e a única medicina tradicional para estar baseada em princípios científicos. O uso da erva M.pruriens na medicina ayurvedica vêm de épocas de mais de 4500 anos atrás. M.pruriens tem um perfil bioquímico fascinante, contendo uma grande quantidade de ingredientes ativos como a nicotina, serotonina e L-dopa (ou dihidroxifenilalanina) - o precursor principal do neurotransmissor dopamina, isolado por cientistas índios em 1936.

Quando a dopamina produzida pelos neurônios são afetados pela doença de Parkinson, resulta em tremores incontroláveis, rigidez dos músculos, dificuldades para falar, escrever e se equilibrar e lentidão de movimentos. A deficiência sub-clínica de dopamina é responsável pelo sentimento de depressão e falta de desejo sexual.

A Dopamina é considerado o neurotransmissor "feelgood", produzido pelo cérebro quando se quer "estar contente" ou der ao corpo uma "recompensa". É também um intermediário na produção de norepineprina (ou noradrenalina, o neurotransmissor que nos desperta do sono) e é efetivo a estimular a produção do hormônio de crescimento (HgH).

• Em um estudo comparativo com animal na doença de Parkinson na qual quantidades iguais de princípio ativo eram usadas, Mucuna pruriens extrato foi mostrado para ser duas a três vezes mais efetiva que o L-dopa sintético. Isto sugere que seja o perfil bioquímico da erva como um todo, e não só o princípio ativo, que é responsável por aumentar sua efetividade significativamente tratando sintomas da doença. Estudos humanos também mostraram benefícios neurológicos importantes para M.pruriens, e ao contrário do L-dopa sintético - tolerância excelente e quase nenhum efeito colateral.
• É provável que quando se toma um extrato da erva juntamente com Tribulus Terrestris aumenta a quantidade de L-dopa que alcança o cérebro. Tribulus contém um inibidor moderado de monoamina oxidase, uma enzima degradante da dopamina. Este modo natural de melhorar os efeitos de M.pruriens foi reconhecido por médicos Ayurvedicos durante mais de 1000 anos.
• Tomando Mucuna pruriens extrato padronizado em L-dopa estimula a secreção de hormônio de crescimento (Hgh) pela glândula pituitária. O Hormônio de crescimento é indubitavelmente o hormônio anti-envelhecimento mais poderoso: encoraja a massa muscular e desencoraja a gordura de corpo, melhora a força e nivela a energia, aumenta o senso de bem-estar e tem uma influência positiva em muitos outros aspectos de saúde.
• M.Pruriens também é usado na medicina ayurvedica, para: restabelecer a libido (junto com Tribulus Terrestris) aumentar os níveis de testosterona (como mostrado em um estudo controlado) e dopamina; em casos de esterilidade masculina e feminina (aumentando a contagem de esperma e encorajando a ovulação), melhorar a agilidade mental, coordenação motora e tratar condições de apatia.

------------------------

Feijão-da-flórida ou Mucuna pruriens.

Feijão-da-flórida
O feijão-da-flórida (Mucuna pruriens) é uma planta anual que chega a medir até 20 metros, da família das leguminosas, subfamília Faboideae. Tal espécie é tropical, nativa da África, Índia e Caribe, possui flores roxas ou purpúreas e vagens oblongas.

É cultivada em outras regiões do planeta, inclusive no Brasil, como ornamental, forrageira e como adubo verde. Também é conhecida pelos nomes de feijão-cabeludo-da-índia, feijão-de-gado, feijão-mucuna,feijão-macaco, feijão-maluco, feijão-veludo e mucuna-vilosa.

------------------------

Mucuna Pruriens Extrato.

Mucuna Pruriens Extrato
Mucuna Pruriens Extrato 50% Insumo Farmacêutico Padronizado.
O efeito da semente em pó da Mucuna no acasalamento, libido e potência de ratos machos normais foi investigado.
Esta estimulou a função sexual, a qual foi observada por um efeito muito forte e durável na atividade sexual dos ratos.
A tradicional propriedade afrodisíaca desta planta foi cientificamente analisada e provada por numerosos experimentos usando sementes de Mucuna pruriens.
Como anabólico e androgênico, fortalecendo os músculos e ajudando a estimular o hormônio do crescimento.
Demonstrou também, aumentar os níveis de testosterona, levando a deposição de proteínas no músculo e aumentando a massa muscular e a força.
Em estudo com ratos, Mucuna pruriens demonstrou atividade significante na habilidade de aprendizado e acentuação da memória.
As folhas, as sementes, as hastes e as raízes contêm o L-Dopa = levodopa, é um fármaco do grupo dos antiparkinsónicos, que é usado no tratamento das síndromes parkinsonianas.
Os estudos conduzidos com pruriens de Mucuna, mostram a quantidade de L-DOPA, 40 mg/g da planta.
As sementes contém o mucunine, o mucunadine, o mucuadinine, o pruriendine e a nicotina bioativa dos alcalóides, além dos ácidos B-sitosterol, glutationa, lecitina e dos óleos.
Os estudos com L-Dopa com modelo experimental demostraram atividade na redução dos níveis de colesterol e de açúcar no sangue.
L-Dopa
O L-Dopa é um aminoácido que se converte em dopamina.
A dopamina é um componente essencial ao nosso organismo.
A dopamina é um neurotransmissor, precursor natural da adrenalina e da noradrenalina.
Tem como função a atividade estimulante do sistema nervoso central.
MUCUNA: L-dopa contém substâncias naturais que estimulam a liberação natural do hormônio do crescimento.
Os níveis aumentados de dopamina também estimulam a produção de outros hormônios, incluindo a testosterona, conduzindo aumento da libido e desempenho sexual melhorado para homens e mulheres e benéficos no crescimento estimulando músculos.
O pó da semente de pruriens de Mucuna tem sido usado por muito tempo na medicina Indiana tradicional para o mal de Parkinson.
A L-Dopa afeta significativamente o metabolismo da dopamina no segmento nigro-estriatal. Esta habilidade ajuda a melhorar os sintomas do mal de Parkinson nos seres humanos.

------------------------

Mucuna pruriens Cápsulas.

Mucuna pruriens Cápsulas
Mucuna pruriens – O extrato das sementes maduras de Mucuna pruriens, um arbusto popularmente chamado por olho de burro, apresenta grande quantidade de substâncias atuantes no sistema nervoso central, a exemplo da levodopa, 5HTP (5 hidroxitriptamina) e nicotina. Seus efeitos medicinais são decorrentes da absorção destes elementos e da sua ação central. Quando jovem as vagens apresentam muitos pelos que ao serem tocados causam muita coceira (deles é que se prepara o pó de mico).

INDICAÇÃO PRINCIPAL: emagrecimento, antidepressivo, estimulante da libido e doença de Parkinson.

Ações:
•A dopamina contida no extrato (6 a 15 % de L-DOPA) ingerida é rapidamente absorvida e provoca sensação de bem estar combatendo os sintomas de depressão, aumentando a libido (tanto em homens como em mulheres) e inibindo a sensação de fome.
•A L-DOPA combate os sintomas da Doença de Parkinson de forma mais eficaz que as medicações alopáticas levodopa e carbidopa.
•O extrato de mucuna melhora a coordenação motora (por elevar a dopamina).
•A dopamina aumenta a liberação de hormônio do crescimento (GH) e este estimula o uso de gordura e facilita a produção de proteínas e o ganho de massa muscular.
•O 5 HTP contido no extrato, ao ser ingerido aumenta a produção de serotonina diminuindo a ansiedade, diminuindo a fome e facilitando o controle alimentar.
•O extrato de Mucuna pruriens atua como antídoto preventivo a picadas de cobras venenosas (por agir como antagonista às toxinas venenosas injetadas), mesmo em relação às altamente mortais como a Naja, a Echis, a serpente da malásia e a Bangarus.

Dosagem: 1 a 2 cápsulas de 400mg 2 a vezes ao dia.

Sugestão: o uso conjunto com tribulus potencializa a ação da mucuna porque o tribulus inibe a enzima que destrói a dopamina (possui inibidor da monoaminoxidase).

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:
As plantas consideradas medicinais contêm substâncias bioativas com propriedades terapêuticas, profiláticas e paliativas, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas também pela medicina alopática mediante o isolamento das substâncias que lhe conferem propriedades curativas (princípio ativo). Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem
A planta "in natura" ou pré-processada utilizada pela população, sem recomendação médica (Medicina Popular), pode ser ineficiente ou até mesmo perigosa, diante da dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.
O uso das plantas, mediante orientação de profissionais habilitados, chama-se fitoterapia e representa uma alternativa terapêutica, muitas vezes mais vantajosa, à alopatia, ou mesmo como um complemento ao tratamento alopático.
Este espaço apresenta, como fonte de informação, uma descrição do uso das plantas medicinais comumente utilizadas na fitoterapia, as dosagens normalmente prescritas e algumas associações possíveis, visando potencialização dos resultados. Para uso em doses superiores às referidas ou por pessoas portadoras de qualquer doença um médico deve ser consultado.
Em caso de qualquer tipo de efeito colateral o uso de qualquer produto fitoterápico deve sempre ser imediatamente suspenso, como se estivesse sendo feito o uso de qualquer medicação alopática.

NOTA:
As matérias primas ou produtos patenteados aqui referidos ou apresentados são sempre adquiridos do detentor da patente ou do seu fornecedor. Respeitamos as patentes e registros.
Não trabalhamos com medicamentos, não trabalhamos com produtos controlados ou com produtos de retenção de receita obrigatória e não efetuamos nenhuma manipulação. Somos uma empresa legalmente constituída, de pesquisa, desenvolvimento técnico e comercialização de produtos naturais. Atuamos com seriedade e responsabilidade e procuramos dar aos clientes o máximo de segurança, por este motivo divulgamos nosso telefone e endereço comercial fixos.
Os produtos fitoterápicos e naturais aqui descritos são permitidos no Brasil e são produzidos exclusivamente em empresas regularmente constituídas e habilitadas pela ANVISA, em obediência a todas as normas existentes, e trazem nas embalagens os respectivos detalhes técnicos obrigatórios, assim como os nomes e registros dos profissionais responsáveis.

ADVERTÊNCIAS:
1. Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.
2. Imagens meramente ilustrativas.
3. Pessoas com hipersensibilidade às substâncias não devem ingerir os produtos.
4. Em caso de hipersensibilidade aos produtos, recomenda- se descontinuar o uso e consultar o médico.
5. Não use o produto fitoterápico ou natural com o prazo de validade vencido.
6. Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.
7. Todo produto fitoterápico ou natural deve ser mantido fora do alcance das crianças.
8. Todo produto fitoterápico e natural não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.
9. Estes produtos não devem ser utilizados por menores de 18 anos, sem orientação médica.
10. As cápsulas não devem ser abertas nem mastigadas.
11. O uso dos produtos fitoterápicos e naturais durante o período de amamentação também não é recomendado.
12. PACIENTES HIPERTENSOS DEVEM SEMPRE CONSULTAR SEU MÉDICO PARA UMA MELHOR AVALIAÇÃO.
13. "SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

------------------------

Suplementos

  • RIPP ABS

    Suplementos


    Noticia painel seguro